Corpos de irmãos mortos em incêndio serão levados para Linhares, ES

A funerária de Linhares que vai fazer o transporte informou que aguarda somente a chegada de um documento que comprova a liberação.

Por G1 ES

Corpos de irmãos mortos em incêndio serão levados para Linhares, ES

Corpos de irmãos mortos em incêndio serão levados para Linhares, ES

Os corpos dos irmãos Joaquim, de 3 anos, e Kauã, de 6 anos, que morreram em um incêndio dentro de casa, em Linhares, Norte do Espírito Santo, serão levados de volta para o município. A previsão é que o transporte aconteça nesta terça-feira (8).

Foi concluído nesta segunda-feira (7) o laudo do exame de DNA para identificar os corpos dos irmãos. Eles foram colocados à disposição da família para serem liberados no Departamento Médico Legal (DML) de Vitória.

A funerária de Linhares que vai fazer o transporte informou que aguarda somente a chegada de um documento que comprova a liberação.

Irmãos morreram carbonizados em incêndio em Linhares, ES (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Irmãos morreram carbonizados em incêndio em Linhares, ES (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

O incêndio aconteceu na madrugada do dia 21 de abril, no quarto das crianças, na casa da família. O pastor George Alves, pai de Joaquim e padrasto de Kauã, era o único que estava na casa no momento do incêndio e disse ter tentado salvar as crianças. Ele foi preso no dia 28 de abril porque estaria atrapalhando a investigação, segundo a polícia, e cumpre prisão temporária no Centro de Detenção Provisória de Viana II.

Nesta segunda-feira (7), o chefe da Polícia Civil do Espírito Santo, Guilherme Daré, afirmou que está em fase final a perícia do caso. Ele esteve em Linhares, nesta manhã, onde se reuniu com o secretário estadual de Segurança, Nylton Rodrigues, e outros delegados. A reunião durou uma hora.

Habeas Corpus negado

A Defesa do pastor entrou com o pedido de Habeas Corpus no Tribunal de Justiça. A decisão saiu na sexta-feira (4) à noite. O HC foi analisado pelo Desembargador Substituto Júlio César Costa de Oliveira, que negou o pedido de liberdade em favor do pastor.

O incêndio

O incêndio aconteceu no dia 21 de abril na casa da família. O pastor George Alves, pai de Joaquim e padastro de Kauã, foi preso no dia 28 de abril porque estaria atrapalhando a investigação, segundo a polícia, e cumpre prisão temporária no Centro de Detenção Provisória de Viana II.

George era o único que estava na casa no momento do incêndio e disse ter tentado salvar as crianças. A mãe das crianças, Juliana Salles, estava em um congresso com o filho menor do casal.

Várias perícias já foram feitas no local do incêndio. Em uma delas, os peritos usaram luminol, substância utilizada para identificar a presença de sangue. Além disso, o pastor, a esposa e outras testemunhas prestaram depoimento à polícia.

COMPARTILHAR