Jovem de talento e habilidade é considerado o primeiro hippie da história de Mantena

Faulemar Lazarino de Andrade, o Faulemar BuzkaLonge,  é nosso primeiro hippie consagrado sendo de Mantena, além de suas habilidades e maestrias no trançado hippie, frequentou como aluno as salas de aula da Escola Estadual  Professora Zilda Pinheiro da Silva e daqui  a bem pouco tempo será o primeiro hippie a ter um curso superior, devendo-se formar até o fim do ano  de 2018 pela Uniube – Universidade de Uberaba, algo inédito em toda região.

Faulemar BuzkaLonge é considerado o primeiro hippie de Mantena – Fotos: Enzo Neiva

Faulemar BuzkaLonge, é filho do conhecido “Bigode”, vem de família humilde, seu pai   foi  candidato à  vereador pela primeira vez nas últimas eleições de 2016. Sobre o trabalho hippie realizado  por Faulemar   pode-se dizer especial,   que apesar da tamanha  habilidade com as mãos e do seu  grande talento demonstra ser uma pessoa bem simples.  Quando conversamos com ele em sua barraca instalada na Praça, vimos  o seu  prazer em falar do seu trabalho como  hippie, evidencia para todos   que não usa drogas, não é viciado, brincando com as palavras ao dizer “quem bebe da  água de Mantena sempre volta” completando  que roda o mundo inteiro, porém que a sua casa é Mantena.

Faulemar BuzkaLonge

Muitos mantenenses são admiradores e compradores da vitrine hippie feita  de pulseiras, anéis, cordões, brincos (trançados)  feitos na hora se precisar, a moda hippie é tão comentada e usada que os  vestidos hippie   fazem o maior sucesso no Brasil e exterior, sempre trazendo e dando  um charme diferenciado aonde quer que a pessoa esteja frequentando.

O movimento hippie cresceu sobremaneira em Mantena, aos poucos eles foram chegando com o seu trabalho  e se apresentando, mostrando os talentos,  principalmente nas  festas  antigas da cidade de Mantena.  O movimento hippie foi um comportamento coletivo de contracultura dos anos 60. Embora tendo uma relativa queda de popularidade nos anos 1970 nos Estados Unidos, o movimento apenas ganhou mais força em países como o Brasil somente a partir dessa década. Uma das frases associadas a este movimento foi a célebre máxima “paz e amor” (em inglês, “peace and love”), que precedeu a expressão “ban the bomb” (“proíbam a bomba”), a qual criticava o uso de armas nucleares. As questões ambientais, a prática de nudismo e a emancipação sexual eram ideias respeitadas recorrentemente por estas comunidades.