Motorista denuncia agressão de policiais civis em briga de trânsito; veja vídeo

Uma testemunha filmou policiais algemando e agredindo um motorista na BR-040. Polícia Civil acusa o motorista de direção perigosa.

EMEstado de Minas ALTV Alterosa

Um motorista abriu uma denúncia na Corregedoria da Polícia Civil acusando dois policiais de agressão após uma suposta discussão de trânsito na BR-040, no trevo de Congonhas, Região Central de Minas Gerais. Uma testemunha filmou a ação, que ocorreu na manhã desta quarta-feira. A vítima alega que não haviam motivos para a prisão e que os policiais agiram com truculência. Já a Polícia Civil acusa o motorista de direção perigosa e diz que, por isso, ele foi abordado.

Continua depois da publicidade

As imagens gravadas no celular mostram dois homens, que seriam policiais civis à paisana, tentando algemar Frederico Paulino, de 37 anos. O comerciante conta que voltava para Belo Horizonte e num estreitamento de pista acabou fechando o carro em que os policiais estavam. “Eu estava voltando da casa de um amigo, próximo de São João del-Rei. Por volta das 8h, estava passando pela BR-040, em Congonhas. Neste trecho, a via ‘afunila’ de duas pistas para uma pista”, contou em entrevista ao Estado de Minas, na tarde desta quarta-feira. 

Na versão de Frederico, a ação dos policiais foi arbitrária. “Não aconteceu nada. Não teve ‘freiada’, não teve buzina e muito menos batida. O policial já pediu para eu sair do carro com ‘as mãos na cabeça’. Eu não entendi o motivo, mas desci e logo o questionei. Ele disse: ‘eu vou atirar’ e eu respondi: ‘então atire’. Foi então que ele ficou ainda mais bravo e disse que eu estava preso”, relata. Segundo o motorista, cerca de 20 pessoas presenciaram a situação. 

A Polícia Civil disse, por meio de sua asessoria de imprensa, que “os policiais estavam a caminho de Belo Horizonte em uma diligência, quando avistaram o motorista fazendo zigue-zague na rodovia e ultrapassagem perigosa em local proibido. A partir daí, foi efetuada a abordagem e acionada a Polícia Militar (PM) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). 

O motorista classificou o ocorrido como uma humilhante covardia. “Foi uma ação totalmente arbitrária e covarde. Todos no local estavam a meu favor. Ele me bateu, quebrou  meu telefone, rasgou minha roupa”, desabafa. Ele alega ter resistido à prisão por não haver motivos e chegou a entrar em luta corporal com o policial. “Ele tentou me algemar a todo o custo. Mas eu não estava entendendo o que estava acontecendo. Perguntei diversas vezes para ele: ‘o que eu fiz? Por que está me prendendo? Eu tenho direito de saber’. Mas, ele não respondia e continuou a tentar me algemar”, argumenta. 

Ainda de acordo com Frederico, uma viatura da PM chegou ao local e o colocou, algemado, no camburão até a chegada da PRF. “Eles me colocaram na viatura e fiquei quase duas horas lá, sem poder falar uma palavra”, contou. O comerciante ainda afirma que nenhuma autoridade registrou boletim de ocorrência, e que a PRF decidiu liberá-lo quando ele pediu para ser levado à delegacia. “A Polícia Rodoviária Federal foi chamada para dar continuidade à ocorrência. Até então, eu ainda não sabia o motivo da minha prisão. Em seguida, a Polícia Civil foi embora e a PRF me liberou. Isso tudo foi entre 8h e 10h”, relatou. 

“Eu sou uma pessoa da paz, foi muito vergonhoso passar por aquilo. Agora, estou todo machucado”, afirma Frederico. Após o ocorrido, ele decidiu denunciar o caso à Corregedoria da Polícia Civil. Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Polícia Civil ainda não confirmou se recebeu a denúncia.