Mulher de homem encontrado morto reaparece e acusa amante, em Colatina

0
155

Motivação do crime seria ciúmes do bebê que ela espera. Caso aconteceu no sábado (10) e desde então esposa estava desaparecida.

Do G1 ES, com informações da TV Gazeta *

Após ficar três dias desaparecida, a esposa do homem encontrado morto no último sábado(10), com um tiro na cabeça, se apresentou na Delegacia Regional de Colatina, Noroeste do Espírito Santo. Segundo o delegado Edson Félix, em depoimento a mulher disse que o amante dela seria o autor do crime e a motivação seria ciúmes do filho que ela estava esperando. O suspeito já é tratado como foragido, de acordo com o delegado.

O corpo do homem de 36 anos, que trabalhava como motorista, foi encontrado em um matagal no bairro Honório Fraga, em Colatina. O carro que pertencia à vítima também foi encontrado abandonado no bairro São Silvano. No veículo havia marcas de sangue e tiros. Logo após a identificação do trabalhador, a polícia suspeitava de que a esposa, grávida de oito meses e que estava desaparecida, estivesse em poder de sequestradores.

Carro foi encontrado a quilômetros do corpo, com marcas de sangue (Foto: Reprodução/TV Gazeta)
Carro foi encontrado a quilômetros do corpo, com
marcas de sangue (Foto: Reprodução/TV Gazeta)

O delegado Edson Félix contou que no depoimento a mulher declarou que ouviu a confissão da boca do amante. “Segundo informou a esposa da vítima, ela saiu com o amante. Segundo ela, ele mesmo confessou que foi o autor do crime e que matou porque estava com ciúme do filho que ela gerava, filho dele. E ela saiu, foram para Pancas e de lá foram para Governador Valadares”, contou.

Ainda segundo o delegado, ainda não há informações sobre o envolvimento da esposa no crime. “Quanto à participação dela, a polícia ainda está investigando. A única certeza que temos é que o autor deste crime foi o amante. Ele já é tido como foragido, a polícia já está no encalço dele e nós pretendemos, o mais rápido possível, prendê-lo e entregá-lo à Justiça”, concluiu.

Ligação antes do crime
Em entrevista no dia do crime, a irmã da mulher, Silvana Carla Martins, contou que ela ligou para a mãe contando que um homem estava rodeando a casa. “Falando com voz de choro, que tinha alguém rodeando a casa dela, que não sabia o que fazer, que estava desesperada, que esse alguém já tinha jogado o carro dele em cima do carro do marido. Aí ela disse para minha mãe que ligaria para dizer o que deu. Depois disso a gente não teve mais contato com ela”, relatou a irmã. Além disso, a polícia havia sido informado por parentes que uma pessoa esteve na casa do casal fazendo ameaças.

* Com colaboração de Mayara Mello, da TV Gazeta