Polícia divulga foto de suspeito de matar marido da ex em Colatina

0
152

A Polícia Civil de Colatina, no Noroeste do Estado, divulgou a foto do suspeito de matar o motorista Valdeci de Oliveira, 39 anos, encontrado morto na manhã do último sábado.

Segundo a Polícia Civil, Valdinei Martins Medeiros é suspeito de homicídio
Segundo a Polícia Civil, Valdinei Martins Medeiros é suspeito de homicídio

A esposa da vítima, Renata Kelly Martins, 29, se apresentou na delegacia nesta segunda-feira (12) e disse que o ex-companheiro Valdinei Martins Medeiros, pai do filho que ela está esperando, foi quem matou Valdeci. Renata está grávida de oito meses. A Polícia Civil informou que a prisão do suspeito já foi decretada. Qualquer informação sobre a localização dele pode ser passada pelos telefones 181 ou (27) 3177-7120.

O corpo de Valdeci foi encontrado em um matagal

O corpo do Valdeci foi encontrado em um matagal ao lado de uma estrada de terra no bairro Honório Fraga. Praticamente no mesmo horário, a quilômetros dali, no bairro São Silvano, o carro da vítima, um Fiat Idea com placas de Ecoporanga, foi visto com marcas de sangue e tiro. Renata estava sumida desde sexta-feira (9), dia do crime. A Polícia Militar chegou a suspeitar de sequestro ou cárcere privado.

Segundo a Polícia Civil, Valdinei Martins Medeiros é suspeito de homicídio
O corpo de Valdeci foi encontrado em um matagal 

Em depoimento ao delegado Hedson Felix, a cabeleireira contou que foi para Governador Valadares (MG) com o ex, após ele dizer que havia matado o marido dela. Renata disse que foi porque quis.

Renata esposa de Valdeci

Renata esposa de Valdeci

Segundo Felix, Renata contou que há cerca de um ano ela se separou de Valdeci por problemas de convivência. Manteve um relacionamento com o suspeito e ficou grávida.

Como o homem não assumiu a paternidade, ela voltou para Valdeci, que aceitou o bebê como se fosse dele, o que teria irritado o verdadeiro pai. O delegado Hedson Felix disse que ainda vai investigar Renata. Ele vai pedir a quebra de sigilo telefônico, já que a cabeleireira disse que trocou mensagens com o suspeito no dia do crime. Ela foi ouvida e liberada.

Fonte: gazetaonline