Prefeito de Boa Esperança, ES, decreta estado de emergência

0
119

Propriedade rural chegou a perder 300 cabeças de gado devido à seca. Lavouras também são prejudicadas; as colheitas estão comprometidas.

 Do G1 ES, com informações da TV Gazeta *

O prefeitura de Boa Esperança, no Noroeste do Espírito Santo, assinou o decreto de estado de emergência do município nesta sexta-feira (6). A cidade é uma das mais prejudicadas do estado, com lavouras sendo queimadas pelo sol e cabeças de gado morrendo devido à falta de água e pastagem para alimentação. De acordo com o governo do estado, essa é pior seca dos últimos 40 anos.

A cidade vem contabilizando perdas devido à pouca incidência de chuvas. Em uma das propriedades rurais, as lavouras de café estão com as folhas secas e os grãos, que já deveriam estar formados, foram danificados pelo sol. Por falta de água, a irrigação foi reduzida em 80% e só é feita durante a noite. O colheita que deveria chegar a 1,5 mil sacas não vai passar de 900, segundo os produtores.

Na pecuária, o prejuízo também vem sendo sentido na propriedade. Sem água para matar a sede e com os pastos secos, centenas de cabeça de gado estão morrendo. Os animais que sobrevivem tentam se manter comendo o resto de mato que resiste próximo ao que resta de um córrego.

O gerente da fazenda, João Alves Neto, contou que cerca de 300 animais já morreram de 2014 até o momento. “Uma tristeza, porque a gente vê nos outros anos os animais todos sadios, e agora chegar ao ponto de a gente recolhendo ossos dos que morreram fracos por falta de água e comida”, lamentou.

De acordo com o secretário Agricultura do município, Josuá Verly, a situação não deve melhorar logo. “Uma chuva agora não resolve a situação, porque nós passamos do período de chuva que seria praticamente de outubro a janeiro. Então esse período já se foi. Agora só um milagre de Deus, e nós estamos aguardando esse milagre”, disse.

* Com colaboração de Serly Santos, da TV Gazeta

Monte de ossos dos animais que morreram devido à seca (Foto: Reprodução/TV Gazeta)
Monte de ossos dos animais que morreram devido à seca (Foto: Reprodução/TV Gazeta)