Exclusivo: Dego Reis diz que vai recorrer da decisão da Justiça sobre nomeação e posse dos concursados em Itabirinha

0
116

Embora tenha dito que vai recorrer da sentença proferida pelo Juiz da Comarca de Mantena, o prefeito reiterou que também vai atender à justiça dando posse e nomeando os concursados à partir da  data estabelecida. O gestor do executivo municipal  informou que vai recorrer em esferas superiores. Dego Reis falou com exclusividade ao Jornalismo Mantena Online. 

Prefeito Dego Reis garante que vai recorrer até a ultima instância pelo cancelamento do concurso em Itabirinha
Prefeito Dego Reis garante que vai recorrer até a última instância pelo cancelamento do concurso em Itabirinha

Dego Reis disse que recebeu com muita estranheza a decisão da justiça em mandar nomear e dar posse aos concursados que foram aprovados   e também pelo cancelamento de um Decreto  estabelecido por ele como gestor municipal em Itabirinha,  tudo isso porque  segundo ele  fez um trabalho diferenciado para chegar  a uma decisão, criou uma comissão, fez uma auditoria  e dentro deste trabalho foi que detectou irregularidades  no concurso  e  pelos fatos   finalizou com um decreto de cancelamento  “Não foi a deus dará e sem nenhum tipo de levantamento, por gosto ou outra situação e sim baseados em documentações,  na decisão proferida pelo juiz de Mantena ele decide excluir dez candidatos que foram aprovados no concurso e dar posse aos demais, eu não concordo com esta postura, a lei nos dá o direito de contestar e a gente vai fazer isso, continuar nesta contestação”, disse.

No entanto o  prefeito de Itabirinha garantiu que mesmo não concordando  vai atender a justiça “Logicamente que vamos  cumprir o que for decidido pela justiça, se ela determinar que temos de dar posse como foi, e a gente já fez o recurso, se porventura ele não for acatado, dia 21 vence o prazo para que eu possa dar posse e nomeação aos concursados, claro que  farei mesmo não concordando por determinação da justiça”, reafirmou.

Diante dos fatos, mesmo tendo de dar posse e fazer as nomeações solicitadas pela justiça, Dego Reis disse que vai continuar exercendo o seu papel e  recorrer da sentença ”Agora cabe a mim como gestor e como responsável que sou de correr atrás para achar um melhor caminho, se porventura eu tivesse entrado na prefeitura e assinado a homologação da forma que estava eu também estaria assinando uma irregularidade de dez pessoas que foram excluídas do concurso, eu entendo que o meu papel é esse mesmo, é contestar para que eu possa ter o atestado da justiça para que eu possa tomar minha decisão”, continuou.  

O prefeito não mostrou receio da decisão que tomou  fazendo o Decreto e nem mesmo em recorrer da decisão da justiça,  ressaltando que não tem desavenças com ninguém “As pessoas que estão trabalhando, contratadas ou não, diante disso também compreendem a nossa postura e cabe a justiça definir se for essa a permanência de decisão apesar de não concordar vamos acatar e trabalharemos com maior prazer com todos que estão lá”, reafirmou.

Dego Reis no entanto não abre mão de continuar recorrendo  mesmo que tenha ir para outras esferas da justiça  “Se porventura tivermos êxito nesta apelação e neste recurso, logico que a gente vai dar continuidade a este processo para fora, Belo Horizonte, Brasília, aonde é que tiver de ser” …

Sobre as fraudes acontecidas nos concursos de quase todas as cidades da Comarca o prefeito não quis se manifestar se mantendo o mais neutro possível, explicando a alternância da justiça em suas decisões   “Como não sou e não tenho conhecimento a fundo dessas situações, por exemplo o concurso que esta trazendo problemas no Município de Itabirinha era da gestão anterior, o concurso que esta tendo problemas e culminou com o afastamento do prefeito de Nova Belém, Valdecir Dornelas, também é de uma gestão anterior da qual eu não estava presente, então eu não tenho conhecimento dos fatos para dizer se concordo ou não, o que eu avalio nisto é baseado no que nós estamos vivendo e no que o concurso e as documentações que nós levantamos nos comprovou as irregularidades , então nós contestamos e temos o respaldo da comissão de auditoria  que foi instaurada para que a gente possa estar contestando judicialmente. Nos demais eu não posso e não quero tomar nenhum tipo de partido neste sentido até porque a justiça é de diversas interpretações e a gente tem de ter um determinado cuidado quanto a isto também, como já disse eu interpreto de uma forma, como foi de forma diferente o promotor, também o juiz, então cabe a nós contestar, se porventura outros superiores pensarem diferente   a gente tem êxito , se não a gente tem por obrigação de obedecer”, finalizando.