Jovem morre em hospital de Colatina após receber injeção na perna, diz mãe

0
149

Família também reclama da demora para levar jovem para o CTI. Adolescente teria apresentado reação alérgica a medicamento.

 Do G1 ES
Hospital Silvio Avidos - colatina
Hospital Silvio Avidos – colatina
A família de um adolescente de 13 anos, que faleceu na manhã desta segunda-feira (2), no Hospital Silvio Avidos, em Colatina, na região Noroeste do Espírito Santo, acredita que uma injeção foi responsável pela morte do rapaz. De acordo com a mãe dele, Maria de Lurdes Pereira da Silva, o filho foi internado com dores nas pernas, mas piorou após receber o medicamento neste domingo (1). Ele chegou a ser encaminhado para o Centro de Tratamento Intensivo (CTI), mas não resistiu. O hospital disse que família pode procurar o Conselho Regional de Medicina ou ao Comitê de Ética Médica do Hospital para realizar a denúncia.

Maria de Lurdes contou que o filho começou a apresentar dores na sexta-feira (27), mas não quis ser levado para o hospital. Na madrugada do sábado (28), ele passou a sentir sintomas mais fortes e quis ser internado. Na manhã de domingo, o rapaz foi levado para a unidade de saúde.

De acordo com a mãe, o médico que realizou o atendimento prescreveu uma medicação, que foi aplicada no jovem. “Demorou uns vinte minutos e ele disse que estava queimando, começou a roxear os braços. Aí chamei o doutor e ele disse que era normal, que ele estava tendo uma reação alérgica e que ele ia mandar suspender o medicamento”, disse.

Segundo a mãe, essas não foram as únicas reações sentidas pelo filho. “Antes da aplicação ele estava andando, mexendo, só reclamava de dor. Depois, ele parou de andar. Hoje de manhã ele estava com o corpo todo roxo e a língua branca”, contou Maria de Lurdes. Ela disse que chegou a pedir auxílio médico, mas foi informada de que o filho não apresentava os sintomas relatados por ela.

O filho só foi encaminhado para o Centro de Tratamento Intensivo após a chegada da enfermeira chefe, por volta das 7h30. Cerca de quatro horas mais tarde, a família recebeu a notícia da morte. De acordo com a mãe, assim que chegou à unidade de saúde, o filho foi submetido por um exame de sangue, que não teria dado nenhum resultado. Porém, no laudo médico consta que o adolescente morreu de infecção generalizada e anemia. A mãe também questiona esse resultado. Segundo ela, nesta terça-feira (3) ela deve procurar a delegacia para registrar o boletim de ocorrência.

Procurada para responder aos questionamentos da família, a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) limitou-se a informar que, segundo a direção do Hospital Estadual Silvio Avidos, as denúncias sobre negligência médica podem ser encaminhadas ao Conselho Regional de Medicina (CRM) ou ao Comitê de Ética Médica do hospital, que adotarão as providências necessárias para apurar o caso.