Quando o ensino se transforma em diversão

0
191

Para difundir as ciências espaciais, Space Camp prova que é possível aprender brincando.

foto ilustrativa
foto ilustrativa

Ensinar conceitos, como os de astronomia, física e robótica, de forma lúdica e descontraída. Essa é a proposta do Space Camp 2015 (Acampamento Espacial, em inglês), que acontece até 15 de março, em Foz do Iguaçu (PR). O evento vai reunir estudantes e professores do ensino médio que participaram da última edição da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA).

O programa será realizado pela ACRUX Aerospace Technologies em parceria com a OBA. O evento contará com palestras e oficinas temáticas com especialistas sobre satélites, foguetes, robótica e astronomia, além da visita guiada à hidrelétrica binacional de Itaipu.

O Space Camp também irá promover uma competição científica em equipe entre os jovens. Em um dos torneios, eles terão que construir protótipos de veículos para uma expedição numa base que irá simular a superfície irregular da Lua. Além disso, haverá disputas de lançamento de foguetes e de talentos artísticos tipicamente Geeks.

Com apoio da Fundação Parque Tecnológico de Itaipu (PTI) e do Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho, as atividades serão realizadas nas instalações do PTI e do Polo. No local haverá também o lançamento de foguetes a propelente sólido, imageamento com drones, uma simulação da construção de uma base espacial por meio de jipes robóticos programados pelos alunos, além de uma grande Space Party para confraternização.

Segundo Oswaldo Loureda, idealizador do projeto, o programa visa incentivar a cooperação e o trabalho em equipe. “Queremos motivar nos participantes o interesse pelo campo da ciência e tecnologia, ensinando sempre de maneira lúdica e divertida”.

Para o astrônomo João Batista Garcia Canalle, coordenador da OBA, é preciso promover mais eventos com o intuito de estreitar os laços entre os estudantes e a ciência. “Somente criando oportunidades para disseminar o conhecimento científico é que poderemos despertar o interesse nos jovens, além de aproximá-los dos pesquisadores dessas áreas”, ressalta.