Necrópsia aponta que aumento do coração matou padre no ES

0
80

Laudo apontou ainda choque cardiogênico e pulmão de choque. Corpo será levado para Caeté, em Minas Gerais, onde será sepultado.

Do G1 ES, com informações de A Gazeta *
Padre Carlos Assis morre na frente dos fiéis durante missa em Cariacica, espírito santo  (Foto: Arquivo Pessoal)
Padre Carlos Assis morreu na frente dos fiéis
durante missa em Cariacica (Foto: Arquivo Pessoal)

O padre Carlos de Assis Viana, que morreu na noite deste domingo (29) enquanto celebrava a missa de Ramos, em Cariacica, na Grande Vitória, tinha aumento no tamanho do coração, problema que acabou levando-o à morte. Segundo a Arquidiocese de Vitória, os resultados da necrópsia realizada para identificar a causa da morte do sacerdote apontaram três problemas: cardiopatia hipertrófica (aumento do coração), choque cardiogênico (incapacidade de bombear o sangue para os órgãos) e pulmão de choque.
O corpo do religioso será levado para Caeté, em Minas Gerais, onde será sepultado.

Veja mais>>>>>https://www.mantenaonline.com.br/padre-morre-na-frente-dos-fieis-durante-missa-em-cariacica-es/

O padre Carlos, de 37 anos, morreu na frente dos fiéis durante a missa de Ramos no bairro Porto de Santana, em Cariacica, por volta de 20h. Assustados, os fiéis tentaram reanimá-lo e chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas quando o resgate chegou, ele já havia morrido. Ordenado em 2011, o religioso era pároco na Paróquia São Francisco de Assis.

A necrópsia apontou a causa da morte, que causou comoção na comunidade. Os médicos explicaram, ao site da Arquidiocese, que o peso do coração (cardiopatia hipertrófica) causou dificuldades no bombeamento do sangue e na respiração, provocando aumento no pulmão e causando o falecimento do sacerdote.

Segundo o vigário geral da Arquidiocese, padre Ivo Ferreira de Amorim, em entrevista concedida antes da divulgação do laudo, os médicos que acompanhavam o religioso não haviam identificado qualquer problema anterior.

A Arquidiocese teve de acionar a Justiça para liberação do corpo, já que nenhum parente do religioso teve condições de vir ao Espírito Santo para fazer o reconhecimento. A família é de Minas Gerais.

Velório e enterro
O corpo do padre Carlos de Assis Viana, será levado nesta terça-feira (31) para Caeté, em Minas Gerais. O translado deve começar às 10h, segundo a Arquidiocese de Vitória. O religioso será sepultado na cidade mineira onde nasceu e onde vive sua família.

Antes disso, porém, a Paróquia São Francisco de Assis, de Porto de Santana, onde Carlos de Assis Viana era pároco, vai se despedir com uma missa de corpo presente, na Igreja Matriz, às 8h de terça. A celebração será presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Vitória, dom Luiz Mancilha Vilela.

Arcebispo de Vitória, Dom Luiz Mancilha Vilela, vai a Roma (Foto: Amanda Monteiro/ G1 ES)
Arcebispo de Vitória, Dom Luiz Mancilha Vilela
(Foto: Amanda Monteiro/ G1 ES)

Confira o pronunciamento do arcebispo Dom Luiz na íntegra:
“Nosso querido Pe. Carlos partiu para os braços do Pai Misericordioso. A Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo colhida de surpresa com o falecimento repentino de Pe. Carlos de Assis Viana, pároco da paróquia São Francisco de Assis, Bairro Porto de Santana em Cariacica, em tudo louva o Senhor nosso Deus, Senhor da vida e de nossa história.

Sofremos com o passamento de nosso querido irmão no sacerdócio, a quem tive a graça de ordenar presbítero da Igreja, tornando-se nosso muito querido colaborador no Presbitério, extremamente zeloso no serviço ao rebanho que lhe foi confiado, discípulo missionário, homem de fé e intensa caridade pastoral. Servo fiel!

Convido a todos os irmãos e irmãs a dar graças a Deus comigo pelo dom precioso que ele nos presenteou na pessoa deste sacerdote zeloso.

Cremos firmemente que Deus Pai Misericordioso o acolhe dizendo-lhe: “Muito bem, servo bom e fiel! Sobre o pouco foste fiel, sobre o muito te colocarei. Vem alegrar-te com o teu Senhor!” (Mat.25,21).

Pe. Carlos faleceu no momento mais sagrado da vida de um sacerdote: No altar do Senhor imolou-se com Cristo sumo Sacerdote! Deus seja louvado. Choramos sua partida, mas damos graças a Deus pelo seu testemunho de fidelidade! Com Jesus até o fim para Glória de Deus pai! Amém!”

* Com colaboração de Elton Lyrio, do jornal A Gazeta