Motorista que dirigia o carro da médica Lívia Maria também morreu nesta madrugada

0
123

Morreu na madrugada desta terça-feira (14/04/2015) o motorista da médica Livia Maria Soares, 31 anos, morta em acidente na ES 080, em Águia Branca, na manhã do último domingo, 12/04/2015.  Clério Nunes de Andrade, 72, foi socorrido e transferido para um hospital particular de Colatina. Ele passou por duas cirurgias, mas não resistiu e morreu.

11136841_828952513825191_1984639393_n-300x225

De acordo com familiares, durante toda a sua vida, Clério trabalhou como motorista. Ele já havia se aposentado, mas não queria ficar parado. Por isso, passou a levar os médicos para os plantões. Além deste serviço, ele costumava fazer viagens para os amigos.

O velório acontece na manhã desta terça-feira (14), no antigo restaurante Cantinho da Nona, no bairro Marista. O enterro será realizado em São Dalmácio, interior de São Roque do Canaã.

Clério e a médica estavam em um veículo Siena que colidiu frontalmente com um Golf. Livia morreu no local. Amigos da médica disseram que ela estava a caminho de Barra de São Francisco, onde iria assumir um plantão pelas próximas 24 horas. Durante a noite, ela tinha trabalhado em um hospital particular de Colatina.

Leia também

O cabo da Polícia Militar, Cleudo Mattos Mol, que atendeu a ocorrência, afirmou que o motorista do Golf se recusou a fazer o teste do bafômetro, mas apresentava odor etílico. Por isso, ele foi detido e encaminhado para a delegacia de Barra de São Francisco.

À Polícia Civil, Anderson Luiz Alves, 26 anos, confessou que ingeriu bebida alcoólica durante oito horas no dia anterior ao acidente. De acordo com o delegado Juliano Batista Fernandes, Anderson disse que bebeu com um amigo na cidade de Mantena, em Minas Gerais, das 12h às 20 horas e que, após esse horário, ele parou e dormiu.

Anderson foi autuado por homicídio consumado e tentativa de homicídio, mas não foi acusado de dirigir sob efeito de álcool. Segundo o delegado, quando dirigiu depois de beber por um período prolongado de tempo, Anderson assumiu o risco de matar, configurando dolo eventual. Não cabe fiança. Ele foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Domingos do Norte.

Fonte: TV Gazeta Noroeste