Briga termina em morte na Rua Emiliano Ferreira em Mantena, Max Brasil assassinou com uma facada Aguinaldo “Defunto”

0
181

Segundo informações o  conhecido  Max Brasil assassinou  Aguinaldo Defunto com uma facada na madrugada desta quinta feira, (11/06), Max  já foi preso pela Polícia Militar e o corpo de Aguinaldo se encontra no necrotério do Hospital São Vicente para que seja tomada as devidas providências visando sepultamento.

Max Brasil assassinou Aguinaldo Defunto com uma facada na Rua Emiliano Ferreira em Mantena
Max Brasil assassinou Aguinaldo Defunto com uma facada na Rua Emiliano Ferreira em Mantena

Um crime que pode ter sido motivado pela ação das drogas  deixou os moradores da Rua Emiliano Ferreira perplexos na madrugada desta quinta feira, (11/06),segundo informações os dois,  Max Brasil e Aguinaldo Defunto que eram amigos e foram criados praticamente juntos naquela rua discutiram  mais cedo, era cerca de 22 horas da quarta feira  e na discursão brigaram com Aguinaldo, sendo mais forte fisicamente, levando vantagem e batendo bem em Max.

Não satisfeito por ter apanhado  Nego Max, ou Max Brasil, como é  conhecido foi até a sua residência e pegou uma faca e voltou para procurar Aguinaldo, a discursão então continuou e Max sacou a faca e acertou apenas uma facada por baixo das costelas de Aguinaldo que caiu morto praticamente na mesma hora. O crime aconteceu as 01:00 hora da manhã e  Max então se evadiu do local e ficou escondido no pasto voltando para sua casa as 05:30 horas quando foi preso pela polícia.

Max Brasil  tem um pequeno lavador de carros ao lado do  antigo Clube do Jovens de Mantena, a algum  tempo quase morreu ao tomar algumas facadas desferidas por uma mulher. Depois de recuperado pediu ajuda e foi internado em uma casa de recuperação para drogados, voltou ao convívio da sociedade, porém sem infraestrutura  voltou a convivência antiga e ao mundo das drogas.  Max também participava do esporte em Mantena como torcedor, jogador e dirigente do Operário.

Aguinaldo, conhecido pelo apelido de Defunto, também era viciado em drogas e já teve passagens pela Polícia Militar.