Jovem de 20 anos espera gêmeos siameses com um só coração em MG

0
165

Fabrícia está no 7º mês de gestação e descobriu a gravidez há dois meses. Ela mora no Vale do Jequitinhonha e aguarda vaga em hospital de BH.

 Do G1 Vales de Minas Gerais

O primeiro caso de Minas Gerais de gêmeos siameses com um só coração foi registrado no estado. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde. Segundo o médico obstetra que atendeu a jovem, a probabilidade de casos como este acontecerem é de um em 50 mil. Fabrícia Oliveira, de 20 anos, mora no Vale do Jequitinhonha (MG) e está no sétimo mês de gravidez.

A jovem descobriu a gravidez por acaso, há dois meses. Segundo a família, Fabricia morava em Estiva, zona rural da cidade de Jequitinhonha. No povoado não há uma unidade de Saúde, e a irmã, desconfiada, chamou Fabrícia para realizar o exame. “É uma realidade complicada, mas o importante é que eles venham com saúde e bem, e o resto a gente conquista depois”, disse a irmã Lucimara Oliveira.

Após o início dos exames de pré-natal, os médicos detectaram que os siameses tem um só coração. Segundo o médico obstetra João Bosco Botelho, durante sua vida profissional nunca havia visto um caso assim. Ele diz ainda que a jovem precisa ser transferida para um hospital emBelo Horizonte, mas ainda aguarda por uma vaga.

“Em 25 anos de profissão nunca havia visto algo assim. A gente está acompanhando o caso da Fabrícia e tentando resolver a situação, para que num prazo rápido ela seja encaminhada para a Santa Casa de Belo Horizonte, onde poderá encontrar uma melhor estrutura”, diz João Bosco Botelho.

Fabrícia espera vaga em um hospital em BH  (Foto: Reprodução/Inter TV dos Vales)
Fabrícia espera vaga em um hospital em BH
(Foto: Reprodução/Inter TV dos Vales)

Fabrícia reclama de dores pelo corpo e espera ansiosa pela transferência. “Quando eu descobri já estava com cinco meses de gravidez. Agora estou esperando essa vaga aparecer. Se Deus quiser vai dar tudo certo, já até escolhi os nomes dos bebês; Adrian e Adriano”, revela Fabrícia.

Os relatórios do caso de Fabrícia foram encaminhados para a Central de Regulação em Belo Horizonte para que a gestante possa receber o atendimento adequado.

G1 procurou a Secretaria de Estado de Saúde para saber se há uma previsão de quando a paciente será encaminhada para a capital, mas o órgão não se posicionou.