Vereadores votam Plano Municipal de Educação e a polêmica sobre ideologia de gênero nas escolas de Mantena

0
72

O Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado no ano passado (Lei 13.005, de 25 de junho de 2014), prevê metas da educação básica até a pós-graduação para serem atingidas nos próximos dez anos. A lei estipula que os estados e os municípios elaborem os próprios planos para que as metas sejam monitoradas e cumpridas localmente.  A reunião  acontece nesta próxima sexta feira, (26/06), em Mantena.

Veja mais >>>>> http://mantenaonline.com.br/mantena-realiza-1a-conferencia-municipal-de-educacao/

>>>>>http://mantenaonline.com.br/estado-e-municipios-tem-tres-meses-para-apresentar-plano-de-educacao-ao-mec/

>>>>>http://mantenaonline.com.br/conferencia-municipal-reafirmara-um-novo-tempo-e-o-futuro-na-area-da-educacao-de-mantena/

Vereador Robério do Sindicato vai propor emendas no Plano Municipal de Educação pois é totalmente contrário a ideologia de genêro "Temos de ensinar os princípios bíblicos em nossas escolas"
Vereador Robério do Sindicato vai propor emendas no Plano Municipal de Educação, pois é totalmente contrário a ideologia de genêro “Temos de ensinar os princípios bíblicos em nossas escolas”

Em Mantena, o Plano Municipal de Educação foi  discutido no dia 17 de março de 2015, quando a  Secretaria Municipal de Educação realizou a 1ª Conferência Municipal do Plano Decenal de Educação com o tema “A intersetorialidade na construção das políticas de educação em Mantena”, tendo como foco o debate do Plano Municipal 2015/2025. A conferência aconteceu na Câmara Municipal com a participação de professores, gestores da educação, pais, alunos acima de 16 anos, secretários, representantes de conselhos municipais e membros da Comissão de elaboração do Plano Municipal de Educação.

A votação do Plano Municipal de Educação acontece nesta próxima sexta feira,  (26/06), na Câmara Municipal de Vereadores, porém, embora o assunto tenha sido  discutido em conferência a população cobra um posicionamento em relação ao tema ideologia de gênero que a principio seria previsto no PNE – Plano Nacional da Educação, para que fosse acrescentando nas escolas de todo pais,  porém foi sancionado sem a  pauta  ficando a critério dos Municípios.

A ideologia de gênero afirma que o homem e a mulher não diferem pelo sexo, mas pelo gênero, e que este não possui base biológica, sendo apenas uma construção socialmente imposta ao ser humano, através da família, da educação e da sociedade. Afirma ainda que o gênero, em vez de ser imposto, deveria ser livremente escolhido e facilmente modificado pelo próprio ser humano. Ou seja, que ao contrário do que costumamos pensar, as pessoas não nascem homens ou mulheres, mas são elas próprias condicionadas a identificarem-se como homens, como mulheres, ou como um ou mais dos diversos gêneros que podem ser criados pelo indivíduo ou pela sociedade. Deveria ser considerado normal passar de um gênero a outro e o ser humano deveria ser educado, portanto, para ser capaz de fazê-lo com facilidade, libertando-se da prisão em que o antiquado conceito de sexo o havia colocado.

De acordo com o  Vereador Robério do Sindicato  que analisou o Plano Municipal de Educação,  a palavra gênero aparece em cerca de três a quatro lugares no Plano e que nesta próxima reunião quando os  vereadores  estarão votando para aprovação do Plano vai propor algumas emendas  para aprovação  “Sou  totalmente  contra a ideologia de gênero em nosso Município, até entendo  que a discussão faz parte da democracia, mas,   que estarei propondo   aos nobres colegas vereadores emendas para que seja ensinado o que a bíblia traz. Temos de preservar a família em todo instante e em todas camadas da sociedade”, disse.

Segundo informações extraoficiais o assunto vem saindo da esfera política e social para alcançar níveis “politiqueiros”, pois, mesmo a Casa de vereadores tendo condições de votar as emendas e  aprovar o Plano, os vereadores da oposição, mais uma vez,  na tentativa de jogar o prefeito contra a opinião pública,  não estão dispostos  a  votar aprovando , mesmo com as emendas,  com claros  objetivos de tentarem colocar nos ombros do prefeito induzindo ao povo de que a administração não quer a conservação da família, o que não é verdade, pois, o Plano foi amplamente discutido em conferência municipal  por membros da sociedade mantenense.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui