Veja a classificação das três escolas de Mantena no ranking estadual no Enem 2014

0
288

No Ranking  Estadual,   o Colégio Batista de Mantena  ficou em 688º, Escola Estadual Zilda Pinheiro em 1.100º e Escola Candido Ilhéu em 1661°.

Alex Araújo Do G1 MG c/adaptações  Mantena Online

Enem 2014 por escola

No Ranking Nacional, entre as dez melhores escolas do Enem 2014, três são de Minas Gerais: Bernoulli, Coleguium e Elite, todas particulares. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou, nesta quarta-feira (5), as notas por escola da edição 2014 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Estas três escolas também estavam entre as dez mais bem colocadas em 2013, mas em 2014 as posições se alteraram. Duas melhoraram – Colégio Elite, em Ipatinga, e Coleguium, em Belo Horizonte.

A primeira subiu da 9ª para a 8ª posição. A segunda, da 10ª para a 9ª. A mudança mais siginificativa foi em relação ao Colégio Bernoulli – Unidade Lourdes, em Belo Horizonte, que ocupava o 2º lugar e caiu para o 5º. As médias são das provas objetivas.

Em 2014, o Colégio Bernoulli teve 730,33 pontos; o Elite, 719,81; e o Coleguium, 719,71 pontos. O indicador de nível socioeconômico dos três colégios foi classificado como “muito alto”.

O diretor de ensino do Bernoulli, Rommel Fernandes, diz estar muito orgulhoso dos alunos que fizeram o Enem 2014. Apesar de ver o resultado como positivo, questiona a quinta colocação. “Para gente, os alunos de 2014 conquistaram o primeiro lugar do país”, afirma.

Fernandes argumenta que, enquanto o Bernoulli possuía quase 300 alunos no 3º ano, os outros colégios que ocupam as quatro primeiras posições no ranking do exame tinham turmas reduzidas, com os melhores alunos de cada instituição.

O Colégio Batista de Mantena se destaca em toda região
O Colégio Batista de Mantena  é o 688°  no Ranking Estadual 
Foto Capa: Portal Mantena

 negrito

“São escolas grandes, que criam turmas separadamente com seus melhores alunos. As outras unidades estão na lista, mas mais para baixo. Quem passou na nossa frente são grandes escolas que manobraram. Não digo que estão erradas, elas estão jogando com a regra do jogo”, critica.

Rommel Fernandes também ressalta que o resultado é, numericamente, superior ao do ano passado, quendo o Bernoulli ficou em 2º lugar – a média da nota dos alunos passou de cerca de 722 pontos para aproximadamente 730. Ele acrescenta que, dos 293 alunos que prestaram o Enem, 221 foram aprovados na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), o que corresponde a cerca de 75%.

Já o diretor do Colégio Elite Vale do Aço, Átila Zanone, atribui a colocação no ranking à união de todos envolvidos no processo escolar. “Contribuímos ativamente para que os estudantes tenham educação de qualidade e sejam cidadãos conscientes. Entendemos os resultados nas provas do Enem como um feliz retorno do trabalho pedagógico. É a confirmação de que a busca pelo alto desempenho é possível com o comprometimento da escola, estudantes e família, ou seja, de todos os envolvidos”, destaca.

A direção do Coleguium comemora a nona posição. “Nós, do Coleguium Rede de Ensino, instituição mineira com uma trajetória de 28 anos na educação, estamos muito orgulhosos em nos manter, pelo quinto ano consecutivo, entre as 10 melhores escolas do Brasil no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em 2014. A nona posição do colégio nesse exame, melhor resultado de todos os tempos, ressalta o empenho de toda a equipe pedagógica em oferecer aos nossos alunos a máxima qualidade de ensino”, diz a diretora pedagógica Daniele Passagli.

A primeira escola pública de Minas Gerais a aparecer na lista foi o Colégio de Aplicação da Universidade Federal de Viçosa – Coluni, em Viçosa, na Região da Zona da Mata. A instituição ficou na 32ª colocação, com 693,32 pontos, e teve o indicador socioeconômico “alto”. Em 2013, a escola ficou na 12ª posição.

A instituição mais mal colocada em Minas Gerais foi a Escola Estadual Maria Rosa Nunes, em Januária, na Região Norte do estado. Ela obteve 430,20 pontos e ficou no 15.613º lugar. O nível socioeconômico do colégio foi classificado como “baixo”.

Em nota, a Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais disse que está analisando as notas para se poscionar sobre as escolas estaduais.