Prefeituras de Minas fazem paralisação em protesto contra a crise financeira

0
123

Em Mantena todos os serviços municipais foram  paralisados, com exceção das áreas de saúde e educação. As prefeituras reivindicam a recuperação do FPM (Fundo de Participação de Municípios), a redistribuição da arrecadação de impostos, a definição dos repasses pendentes dos convênios entre a União, estados e municípios e revisão do Pacto Federativo. 

11921675_1676010009286948_3684341060825313967_n

Cerca de 600 prefeituras mineiras fizeram  uma paralisação nesta segunda-feira (24) em todo o Estado. O ato faz parte do movimento  “Crise nos municípios: prefeituras de Minas param por você”, apoiado pela AMM (Associação Mineira de Municípios). 

Municípios associados à Amepi (Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Rio Piracicaba) fizeram uma manifestação na BR-381, altura do trevo de Itabira, na região central de Minas Gerais. Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o ato durou entre 10h e 12h e a rodovia foi parcialmente interditada.

Liberação de recursos

Na última sexta-feira (21), o governador de Minas Gerais Fernando Pimentel anunciou a liberação de R$ 310 milhões para prefeituras mineiras, entre linhas de financiamento do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) e recursos para o transporte escolar.  

O anúncio foi feito durante um encontro com prefeitos e presidentes de associações microrregionais de municípios de todo o Estado. O governador também confirmou que enviará à ALMG (Assembleia Legislativa de Minas Gerais) um projeto de lei que altera a Lei Robin Hood, que trata da distribuição da cota-parte dos municípios do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).