Faustino contesta apoio de profissionais liberais a pré-candidatos a prefeito analfabetos em Mantena

0
162

O  misto de radialista e empresário foi enfático em suas afirmações e disse não entender como  alguns profissionais liberais estão apoiando  pré-candidatos  analfabetos em Mantena e que isso seria explicado como interesse financeiro e para levar vantagem num eventual governo. Ele ameaçou dizer nomes nos próximos programas. O povo quer saber? Quem são os candidatos analfabetos citados, quem são os profissionais liberais que apoiam o analfabetismo e que estão querendo somente tirar proveito e vantagens pessoais?

analfabetoEis na integra as palavras do misto de empresário e radialista Rogério Faustino em um dos seus programas veiculado pela Rádio Cidade FM.

“É inacreditável  falar isso aqui, pessoas com curso superior, tem pessoas com nome na cidade defendendo um  eventual  governo de analfabeto gente , pessoas analfabetas, o que faria uma pessoa com curso superior, vários cursos superiores, pessoas filho de Mantena defender hoje um governo analfabeto, o que pode imaginar, passar na cabeça, de uma pessoa chegar a vim defender um governo analfabeto. Quero dizer para você eleitor de Mantena, só tem uma possibilidade, interesse financeiro, mais nada, mais nada,  Porque na era que vivemos, na velocidade que vivemos, na era das Redes Sociais, na era da computação, na velocidade que vivemos de mudança a cada dez dias muda quase tudo, como vamos ter gente um governo  que não tem conhecimento, um governo analfabeto, hein?  O povo não pode aceitar que em plena era que vivemos defender o analfabetismo, não pode, isso é inaceitável, inaceitável você ver um doutor, um advogado, um dentista, um profissional liberal renomado, formado, defender um eventual governo analfabeto, eu vou ter de citar nomes aqui né gente, daqui uns dias, se as pessoas entenderam pela rua fora só há uma finalidade, interesse financeiro, levar vantagem no próximo governo, misericórdia”, disse.

Uma das inelegibilidades é ser o pretenso candidato analfabeto. Tal impedimento, previsto no artigo 14, §4º, da atual Carta Magna, à exceção da Constituição de 1824, está presente em todas as constituições do país.

A UNESCO define analfabeto funcional como toda pessoa que sabe escrever seu próprio nome, assim como lê e escreve frases simples, efetua cálculos básicos, porém é incapaz de interpretar o que lê e de usar a leitura e a escrita em atividades cotidianas, impossibilitando seu desenvolvimento pessoal e profissional. Ou seja, o analfabeto funcional não consegue extrair o sentido das palavras, colocar ideias no papel por meio da escrita, nem fazer operações matemáticas mais elaboradas.