Artigo: “Subir o vaqueiro subiu, vamos ver se consegue ficar no lombo do burro”.

0
126

O vaqueiro laçou os votos da população,  tomou o lugar e domou o tubarão deixando o coiote uivando de tristeza mais uma vez, foi assim a política com a eleição de João Rufino e Luís Garcia como prefeito e vice-prefeito de Mantena. Veja  o que ficou caracterizado nesta eleição atípica em que pela primeira vez os candidatos tiveram de trabalhar apenas 45 dias com dinheiro restrito experimentando a nova fase da política municipal e estadual e em esfera nacional.  

Por Vasconcellos

cavaleiroNão escrevemos aqui com o coração e nem com a alma, escrevemos com a razão e as interpretações, embora possam ter outras conotações ficou para os políticos mantenenses que os eleitores e a população mais uma vez privaram por aqueles que tinham ao seu lado pessoas conhecidas, os considerados pratas da casa, ficou confirmado que Mantena e o seu povo são bairristas e não adianta aglomeração de fora em campanhas que no final o voto é descarregado nos produtos da Terra Boa.

O que faltou ao Tubarão e ao Coiote,  o Vaqueiro tinha de sobra, gente da gente, pessoas conhecidas no dia a dia, o povo considerado pobre, pequeno, (isso sem menosprezar ninguém), serviçais do dia a dia que felizmente sabe quem é quem no dia a dia.

O que faltou ao Tubarão em termos de lutas e de obras, mesmo alguns usando de artifícios políticos relatando obras de últimas horas, não foi isso que levou o Tubarão a amargar o terceiro lugar no último pleito, foi sim o trato daqueles que se uniram ao prefeito, foram prestigiados com cargos  e que não tinham compromisso com o povo, que durante os primeiros anos de governo foram grossos não imitando em nada o seu comandante. Humilde, humano, trabalhador e bom administrador o Tubarão pecou por permitir que essas pessoas que não falavam a mesma língua de Mantena tivesse entre aspas “o poder nas mãos”, tudo isso refletiu no momento final e o povo fez a escolha vinda da alma, sem mais delongas.

O que faltou ao Coite em termos de investimento e vontade chegar ao poder?, ao nosso ver,  nada. O coite  fez uma campanha onde mostrou ao povo que estaria apto e queria alcançar o governo, não sei se seria o melhor investimento ou não para Mantena, o empresário de sucesso, humilde, que ganhou dinheiro com muito trabalho (não vou entrar no mérito de como foi este trabalho), mais uma vez bateu na porta e quase se assentou na cadeira do executivo municipal, o que lhe faltou então?  Pode se dizer que o Gentileza estava liderando a corrida e chegaria em primeiro, porém quando foi contra o povo e passou a agregar “velhos conhecidos da política de Mantena” começou o seu declínio, o nosso povo, o povo da “Terra Boa”,  já conhece quem vem para política para “mamar nas tetas” e  usufruir das coisas públicas para o bem próprio e de familiares, o povo que sofre e já sofreu muito, que é simples,  mas, não é mais bobo foi se afastando lentamente dando a resposta nas urnas.

E o que o vaqueiro trouxe de novo para vencer a campanha e se tornar o próximo prefeito de Mantena? Com uma ou outra divergência trouxe consigo o povo simples que faz a diferença em Mantena, primeiramente falou a língua do povo, ao seu lado Luís Garcia, um candidato a vice-prefeito que ganhou mais uma oportunidade (precisa ficar aqui e mostrar trabalho) dada muito pelo carisma de seu pai Joel Garcia dos Santos, considerado o prefeito pai dos pobres em Mantena. O vaqueiro João Rufino um produtor rural, homem do campo,  ex-vereador e  líder sindical que trata a todos com sinceridade e serenidade  tem suas dificuldades todos sabem, usando a tática da simplicidade e mostrando carinho com o povo, com pessoas conhecias ao seu lado, que tem compromisso com a Terra Boa foi feliz e ganhou o páreo numa das políticas mais difíceis e disputadas em todos os tempos.

Quanto ao governo que estarão fazendo  não podemos dizer se  vai ser bom, ou se  vai ser o melhor, não sabemos mesmo  se  vai conseguir governar (vai que não fecha com o dono do monopólio das rádios).

Ultimamente  Mantena tem colocado no poder e cobrado do prefeito muito mais que luta e obras, ele quer ver a cidade sendo governada em sintonia com  povo, com as escolhas  sendo distribuídas para gente da terra,  que aqueles que ganharem a oportunidade de secretariado esteja  tratando o povo com dedicação, amor e carinho (palavras do Dr. Ermano Batista em discurso de como Mantena precisa ser) e ainda muito mais que isso, o novo prefeito tem de andar pelas ruas para continuar sua comunicação diária  com as pessoas  e como prefeito  vaqueiro não tratar as pessoas como animais irracionais, “subir o vaqueiro subiu, vamos ver se consegue ficar no lombo do burro”.