Secretário diz que está faltando técnica legislativa e leitura mais atenta dos projetos enviados pelo executivo à Câmara Municipal de Mantena

0
89

Pelas Redes Sociais  o  Secretário da Fazenda, Jorge Verano,  atacou o  Vereador Genivaldo Assis:  “Sobre a VTE, com certeza o Vereador não entendeu ou não quis entender o projeto”.

Pelas Redes Sociais, o Vereador Genivaldo Assis que também é um servidor municipal foi questionado pelo Secretário da Fazenda, Dr. Jorge Verano

Depois que o Vereador Genivaldo Assis exerceu o seu  trabalho junto à Tribuna da  Câmara Municipal de Mantena votando contra e   reafirmando ao vivo e a cores sobre o  seu posicionamento  em relação ao corte nas diárias dos motoristas da Secretaria Municipal de  Saúde realizado pelo Executivo Municipal  e  que  foi noticiado pelo Jornalismo Mantena Online a matéria tomou um pé diferenciado com um grande numero de internautas participando  com comentários na  maioria dos participantes apoiando a luta do Vereador e seu posicionamento ao lado dos servidores municipais.

Veja mais

http://mantenaonline.com.br/vereador-genivaldo-assis-bate-de-frente-contra-a-reducao-de-diarias-dos-motoristas-em-mantena/

Diante dos fatos, o  Secretário Municipal da Fazenda, que também ocupa o cargo de Presidente da 59ª Subseção da OAB/MG, gestão 2016/2018, Dr.  Jorge Verano,  deixou uma resposta ao Vereador  afirmando que  “Sobre diárias a historia é longa e será feita a necessária explanação no momento certo”. O Secretário explicou que cerca de 1% ou menos ainda, dos servidores municipais, é que tem acesso às tais diárias “Portanto, a defender direitos dos servidores, vamos defender a totalidade ou a grande maioria dos servidores”, disse.

Jorge Verano disse que o povo tem o direito e precisa saber tudo o que acontece no seio da administração “Sobre a VTE, com certeza o Vereador não entendeu ou não quis entender o projeto, pois em momento algum o executivo quis tirar direitos dos servidores. O que se fez foi corrigir um escândalo que permitia conceder gratificações de até 300% a determinados servidores”, explicando.

 Para o secretário a ressalva que se fez no texto foi a favor do servidor, reduzindo para 100% o máximo permitido, sendo certo afirmar que gratificação não é integrada ou incorporada ao salário “Trata-se de uma verba temporária. Mas para efeito de calcular o 13° e as ferias, ela pode ser contada”, afirmou. 

“Está faltando mesmo é técnica legislativa e leitura mais atenta dos projetos enviados à Câmara. O executivo mantenense trabalha com elevado respeito aos servidores , buscando igualar os direitos, repor as perdas salariais e os excessos de privilégios. Isso é que precisa ser levado ao conhecimento do povo” relatou. “A prevalecer a opinião do Vereador, estar-se-á dizendo que os demais vereadores votaram contra os servidores, o que não é verdade. Eles entenderam perfeitamente o espirito do projeto e o que se busca com ele”, finalizando.