Exclusivo: Vereadora Elza Ker pode perder o mandato em Mantenópolis, Noroeste ES

0
163

A vereadora do município de Mantenópolis,  ES,  Elza ker foi denunciada a justiça pelo  Ministério Público do Espirito Santo, por prática de vários crimes de improbidade administrativa e desvio de dinheiro público. O MP pede a devolução de todos os valores desviados, corrigidos,  e a perda da função pública da vereadora Elza Ker e a responsabilização dos demais envolvidos na forma da lei.

Elza Ker – Fotos: Redes Sociais/Internet

Segundo o Ministério Público, através do Promotor Izaías Antônio de Souza, a vereadora cometeu diversos crimes  no período em que foi presidente da Câmara Municipal de Mantenópolis, no biênio  2013 e 2014, quando usufruiu do carro da câmara e funcionários para uso particular.

Durante oitiva e  depoimentos dos funcionários ao Ministério Público , José Santiago Sobrinho e Iledilci Maciel Dias confirmaram  que teria levado a então presidente da câmara e sua família para  curtir férias  em  uma  praia na cidade de  Piúma,  ES, no carro oficial  da câmara. Consta ainda na denúncia que marido da vereadora, José Carlos Ker,  bateu o carro da Câmara em Minas Gerais tarde da noite com destino incerto  sendo que o Ministério Público apresentou boletim de ocorrência da Polícia Militar de Minas Gerais.

A vereadora Elza Ker ainda foi denunciada  por ter desviado dinheiro do legislativo municipal por meio de compra de bandeiras com superfaturamento de até 184%.  Segundo o Ministério Público,  a vereadora também teria desviado  dinheiro da câmara por meio da empresa de nome fantasia “Construtora Baia”  de responsabilidade da Srª.  Wanusa de Oliveira, que em seu depoimento relatou   que não sabia o endereço da empresa e se a mesma tinha funcionários e que conhecia a empresa por que a mesma estava registrada no seu nome,  mais que pertencia ao seu esposo Adelso  Leandro Baia ( Dilim Baia). A empresa,  ainda segundo Ministério Público, fez reformas na câmara, contratada pela vereadora Elza e teria desviado mais de R$ 15,000,00 (Quinze  mil reais)  por meio de contratos fraudulentos.                        

Ao final o Ministério Público  pede a devolução de todos os valores desviados, corrigidos,  e a perda da função pública da vereadora Elza e a responsabilização dos demais envolvidos na forma da lei. O caso agora depende do Juiz Dr. Bruno Fritoli Almeida da comarca de Mantenópolis-ES.