Secretaria de Segurança mantém silêncio sobre caso de médica morta em Vitória

0
87

Um homem suspeito de atirar na cabeça e matar a médica, de 38 anos, foi preso neste sábado e prestou depoimento a policiais na DHPP.

Por G1 ES

A Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo (Sesp) informou, nesta segunda-feira (18), que não há previsão para divulgar novas informações sobre o caso da médica Milena Gottardi Tonini Frasson, baleada quando saía de um plantão no Hospital das Clínicas, em Vitória. Desde sábado (16), a Sesp permanece em silêncio sobre a situação.

Moto apreendida pela Polícia Civil na DHPP teria sido usada pelo assassino da médica (Foto:  Guilherme Ferrari/ A Gazeta)

Moto apreendida pela Polícia Civil na DHPP teria sido usada pelo assassino da médica (Foto: Guilherme Ferrari/ A Gazeta)

Um homem suspeito de atirar na cabeça e matar a médica, de 38 anos, foi preso neste sábado e prestou depoimento a policiais na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Vitória.

A informação foi confirmada, segundo a publicação do Jornal A Gazeta deste domingo (17), por duas fontes com acesso às investigações. A Sesp, no entanto, não comentou a prisão.

Ao todo, três homens foram levados para a DHPP. Todos eles são suspeitos de algum tipo de envolvimento no assassinato da médica, na última quinta-feira (14), no estacionamento do Hospital das Clínicas.

Além disso, a moto que teria sido usada no crime foi apreendida em Fundão pelos policiais.

Logo após as prisões, o secretário de Segurança Pública, André Garcia, pediu, em uma publicação em rede social, que as pessoas não divulguem boatos do caso e disse ainda que as investigações estão avançadas.

Linha de investigação

Na noite de sexta-feira (15), André Garcia, disse que o assassinato da médica Milena Gottardi Tonini Frasson tem características de crime de mando. Essa é a linha de investigação, de acordo com ele, e o marido, um policial civil, é um dos investigados.

O secretário adiantou que as investigações seguem nesse sentido. “É uma linha muito que está sendo considerada, de que não tem relação com crimes contra o patrimônio que acontecem naquele local. O que está sendo apurado aponta para um crime de feminicídio, ou seja, relacionado a uma questão sentimental de uma pessoa conhecida. É um feminicídio clássico, por ruptura de relação. A gente está levantando, mas é provável que seja relacionado a um relacionamento”, disse.

Morte

Milena saía de um plantão no Hospital das Clínicas na noite da quinta-feira (14), acompanhada de uma colega, quando, ao chegar ao carro, foram surpreendidas por um homem, que inicialmente exigiu pertences e as chaves do veículo. Sem que as duas reagissem, ele atirou três vezes e uma bala acertou a cabeça de Milena.

 
Médica Milena Gottardi Frassom (Foto: Arquivo Pessoal)

Médica Milena Gottardi Frassom (Foto: Arquivo Pessoal)

A médica chegou a ser socorrida em estado gravíssimo e foi submetida a uma cirurgia. Depois, foi transferida para um leito de UTI. A médica teve a morte confirmada às 16h50 desta sexta-feira (15). A família autorizou a doação das córneas de Milena.

Familiares e amigos da médica se despediram da médica neste sábado (16). O velório e o enterro aconteceram na cidade de Fundão, onde ela nasceu.