Após cogitar pré-candidatura, Dr. Rey afirma: ‘matou aos 8, será julgado como adulto’

0
84

Em vídeo postado nas redes sociais, cirurgião plástico se definiu como um ‘presidente elegante’

GR Gabriel Ronan

 

“A esquerda defecou no Brasil por cem anos. E a direita também está desapontando”, afirmou Rey(foto: Reprodução/Facebook)
Famoso por suas aparições na TV e por suas cirurgias plásticas, o médico Robert Rey – conhecido como Dr. Rey ou Dr. Hollywood – também pensa em ser presidente do Brasil. Pelo menos é o que ele afirmou em entrevista a um programa da TV Comunitária do Rio de Janeiro. Com menções a John Kennedy e Ronald Reagan, o brasileiro radicado nos Estados Unidos apresentou propostas relacionadas a política, educação, segurança e economia para 2018.
Para legitimar sua candidatura, o cirurgião apresentou um diploma de economia, concedido pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. Neste aspecto, Rey defendeu as reformas ministerial e tributária, com objetivo de cortar gastos: “Vamos diminuir muito o governo, vamos de 40 ministérios a 15. O imposto vai de 77 (por cento) a 17, radicalmente. Rey é gênio? Não, Ronald Reagan fez (as reformas) nos EUA”, ressaltou.
Ele ainda disse que seu modelo de governo está distante da esquerda e da direita. “A esquerda defecou no Brasil por cem anos. E a direita também está desapontando”, destacou.
Quanto à segurança, o Dr. Hollywood afirmou ser a favor de mudanças na maioridade penal. “Quando eu for presidente, matou aos 8 (anos), será julgado com adulto”. Além disso, o apresentador de TV defendeu que o presidiário vire “escravo da sociedade”, a partir de serviços desempenhados nos cárceres. 
A imagem do candidato também foi assunto da entrevista. O ex-garoto propaganda da Polishop garantiu que seria um ‘”presidente elegante” e disse que os brasileiros são inteligentes e sexy.  
Sobre a corrupção, Rey culpou o comunismo e o ateísmo pela desonestidade dos brasileiros. “Comunista é ateu, então ele não tem que responder para Deus. Ele rouba de você e mente na sua cara.” 
Já no plano da educação, o cirurgião também prometeu mudanças. Para ele, a “falta de chicote” atrasa o país, ao contrário do que acontece em países estrangeiros. 
Diante da polêmica acerca das declarações, a repórter Fabíola Lyma se posicionou sobre o vídeo em seu perfil no Facebook. Apesar de “sempre ter odiado política”, ela defendeu a candidatura do entrevistado. “Nunca imaginei que poderia haver alguém capaz de trazer ao Brasil a conduta do primeiro mundo, com tanta coragem, sinceridade e objetividade, mesmo sendo uma pessoa engraçada de tão transparente”, salientou a jornalista.
Postado no último dia 2, o vídeo foi compartilhado por 40 mil usuários do Facebook, e recebeu outras 21 mil interações e 10 mil comentários. 
O Dr. Robert Rey é filiado ao Partido de Reedificação da Ordem Nacional, o Prona, o mesmo que, em 1989 lançou à Presidência o inesquecível Enéas Carneiro, que também era médico.
 
Assista abaixo à entrevista do Dr. Hollywood:
*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa