Polícia Militar  prende autores de roubo a ônibus escolar  que seguia  de GV para Tumiritinga

0
357

As viaturas de Conselheiro Pena, Aimorés,  Tumiritinga e a viatura da Polícia Rodoviária Estadual mantiveram  os trabalhos de rastreamento e identificação  do  veículo e dos autores deste crime quando obtiveram êxito  sendo presos Fabrício Fernandes de Oliveira, sua amásia Pamela Moreira da Costa Fonseca e dois comparsas William Pereira da Silva  e Eduardo  Silva.

Eram aproximadamente  23 horas de sábado, (24/02), quando a viatura da Polícia Rodoviária Estadual  patrulhava entre São Geraldo e a BR 116 quando passou um veiculo identificado como sendo um Voyage branco com as mesmas características utilizados no assalto ao ônibus escolar que seguia  sentido Governador Valadares a Tumiritinga e avisou via Rádio as viaturas de Aimorés e Tumiritinga que logo montaram um cerco e bloqueio na cidade de Tumiritinga na saída para São Geraldo de Tumiritinga, sendo que o veículo foi avistado e ao dar sinal para parar por um dos policiais o carro suspeito empreendeu fuga fazendo diversas manobras perigosas colocando em risco a vida de transeuntes sendo o veículo  imobilizado depois de alguns minutos de perseguição.

Depois de imobilizados foi dado ordens para que o motorista saísse com as mãos para cima  o que não foi atendido sendo os policiais forçados a usarem da força excessiva para retira-lo do interior do veículo   sendo posteriormente identificado como  Fabrício Fernandes de Oliveira com o veículo sendo revistado  sendo localizado um celular e um cigarro de substância semelhante a maconha, sendo confirmada a informação de que a placa do veículo estava mesmo amassada.

Diante dos fatos e a principio o autor negou a participação no crime do roubo ao ônibus escolar, porém com a chegada de sua amásia Pamela Moreira da Costa Fonseca foi convencido  por ela  a colaborar com a polícia  confessando  ter conduzido o veículo para interceptar e “fechar” o ônibus de estudantes. Pamela Moreira  confessou também que  foi ela quem planejou o roubo e que convenceu ao amásio que praticasse o roubo o acompanhando inclusive na perseguição do veículo ao ônibus de transporte dos estudantes.

Segundo ela convenceu  o amásio a reclutar mais dois comparsas identificados como William e Eduardo da Silva relatando  em detalhes  que dois dias antes, ela e o amásio  acompanharam o ônibus dos estudantes para saber de seu  itinerário.  

Os comparsas  que foram recrutados  em Governador Valadares e que  entraram no ônibus  foram reconhecidos  por meio de fotos do arquivo do Sistema  Criminal   quando foram localizados e presos com apoio  dos   militares de Governador Valadares sendo encontrado na casa destes partes dos materiais roubados.  

Na ação a Polícia Militar recuperou dinheiro, documentos, cartões e celulares das vítimas – Fotos: Divulgação PM/Redes Sociais 

Na casa do conduzido William Pereira da Silva   foram encontrados  R$ 218,00 (Duzentos e dezoito reais), diversos aparelhos celulares, um punhal pequeno e diversos documentos e cartões de crédito de pessoas vítimas da ação delitiva.

Na residência  de Fabricio Fernandes foram encontrados um óculos de sol marca Colcci, no bolso da bermuda que estava usando   R$ 207,00 (Duzentos e sete reais), no armário da cozinha o celular Samsung Gran Prime e no bolso da camisa uma note de R$ 100,00 (Cem reais), todos os autores foram encaminhados ao Hospital Regional e em seguida encaminhados para Delegacia de  Polícia Civil de plantão.

Dois comparsas presos

Os dois conduzidos William Pereira  e Eduardo Silva também confessaram a autoria do roubo em São Geraldo de Tumiritinga, fato que ocorreu no mesmo dia do roubo ao ônibus quando explicaram “ao fechar o ônibus para assalta-lo jogaram a chave no mato para dificultar que as vítimas acionassem a Polícia Militar, mas, o ônibus ficou atravessado na pista impossibilitando que o Voyage utilizado por Fabricio e Pamela retornassem com eles para Governador Valadares; assim, e por este motivo eles fugiram a pé pelo mato até São Geraldo onde levaram duas bicicletas, dinheiro e celulares das vítimas que estavam em um bar”.