Mantena: Pai desabafa e alega possível negligência médica e hospitalar na morte do filho,  veja vídeo

0
413

O Jornalismo Mantena Online   entrevistou  com Exclusividade  Robson Pierre,  pai do bebê Arthur Alexandre Rodrigues Costa,   que nasceu no dia primeiro de março de 2018 no Hospital São Vicente de Paulo em Mantena, vindo a óbito dois após no dia 03/03 na U T I – Unidade de Tratamento Intensivo – o   Neo Natal do  Hospital Regional em Governador Valadares.

Entenda os fatos

Segundo   Robson Pierre ele levou sua esposa Michely Kely,  grávida de nove meses ,  ao Pronto Atendimento de Mantena,   quando  passou  por   uma triagem e foi encaminhada para Maternidade do Hospital São Vicente de Paulo, onde segundo ele foi examinada pelo médico Dr. Ismael que constatou que ela tinha 3 centímetros  de dilatação e já estava perdendo liquido, e que ele não tinha condições de fazer o parto e que precisaria de um médico  para assisti-lo. Robson disse que naquele momento o Hospital ligou para alguns médicos  de Mantena e  conseguiram localizar  o médico Dr. Antônio  Délcio Fulgêncio da Cunha  que  chegou com um pouco de demora , porém  se dispôs a fazer o parto  e que juntamente  foi chamado o médico anestesista Dr. Jânio  Aquino de Assis que demorou  muito em chegar e quando ele chegou  sua esposa  havia evoluido para  7 centímetros  de dilatação e com a bolsa estourada em cima da maca.

Robson Pierre estava feliz com o filho recém nascido e chegou a postar a notícia para os amigos e familiares pelas Redes Sociais – Foto: Robson Pierre (cedida)

Pierre explicou que a única dificuldade que visualizou no filho depois do nascimento foi em pegar o peito na hora da amamentação, algo que para ele era comum e viu como normal. Que seu filho dormiu bem, porém  estava chorando o que foi constatado uma pequena cólica com as enfermeiras  pegando o bebê da mãe e levando para tomar alguns gotas de remédio quando cerca de dez minutos depois já voltaram   relatando que os pais teriam de levar o bebê recém nascido para Governador Valadares, pois, o mesmo já estava tomando oxigênio e aparentemente todo roxo.

Ele reclamou que o Hospital São Vicente de Paulo não havia dado nem o papel para fazer o registro de nascimento do filho  e que quando entraram na ambulância com o filho naquele estado lhe falaram que estava tudo preparado para recebe-los no Hospital em Governador Valadares, o que não era verdade  “Quando chegamos em Governador Valadares eles não sabiam nem da nossa existência  quanto mais que estávamos indo para lá com nosso filho no estado que estava. Eu já estava desesperado e a situação que encontramos só fez eu aumentar o meu desespero, mas, como Deus é bom e justo colocou nas nossas vidas uma doutora  que nos ajudou muito, a U T I – Unidade de Terapia Intensiva Neo Natal estava com sua lotação máxima e ela conseguiu abrir um leito extra para colocar o nosso filho  e tudo que ela pode fazer pelo nosso filho, ela fez”, contou.

O filho faleceu com Hemorragia Pulmonar, Choque refratário , Distúrbio hidroeletrolítico, Sepse grave e Acidose metabólica

Em seu relato Robson Pierre disse que a médica que os ajudou não tinha nenhuma informação do Hospital São Vicente de Paulo “Sem informações  a médica  teve que fazer muitos exames na U T I Neo Natal de Governador Valadares  relatando  que meu filho estava com baço  e o fígado comprometidos  e com uma infecção muito grande, ela não quis frisar  que seria uma  infecção hospitalar, mas, nos disse  que o nosso  filho estava em um estado muito grave e que se ela tirasse a máquina que estava conectado a ele certamente morreria na hora”, relatou com tristeza.

Robson Pierre disse que resolveu denunciar porque existe um descaso muito grande na saúde de Mantena e que eles passaram por momentos dentro do Hospital São Vicente de Paulo muito difíceis “Parece que eles estão dando uma esmola para um mendigo, somos filhos de Mantena, moradores deste lugar, somos trabalhadores e pagamos impostos aqui em Mantena, eu só queria que eles tivessem mais um pouquinho de seriedade porque a vida do ser humano é um dom que Deus dá, eu conheço muita gente que gostaria de ter um filho, mas, não recebeu este dom de ter um filho, Deus te dá o dom da profissão de médico  para colocar alguém no mundo e faltou seriedade.  Eu velando o corpo do meu filho algumas pessoas vieram até a mim para dar os pêsames e varias pessoas falaram que com a morte do meu filho  estava sendo o quarto caso de óbito de recém nascido em um curto espaço de tempo”, finalizando.

Nota da Redação

O Jornalismo Mantena Online tem as portas abertas para também publicar respostas se houver interesse dos médicos e ou  da direção do Hospital São Vicente de Paulo de Mantena,  concedendo o espaço necessário para que seja explicado suas versões no episódio triste  que envolveu  a morte do bebê Arthur Alexandre Rodrigues Costa que teve o parto realizado no hospital de Mantena vindo a óbito no Hospital Regional  em Governador Valadares.  

Veja a repercussão dos fatos  pelas Redes Sociais