Vereador que assassinou a tiros prefeito de Naque, em Minas Gerais, é preso no Espírito Santo

0
6

Por G1 Vales de Minas Gerais


Vereador Marcos Alves de Lima foi preso no Espírito Santo nesta terça (16) — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Vereador Marcos Alves de Lima foi preso no Espírito Santo nesta terça (16) — Foto: Polícia Civil/Divulgação

O Site número UM de Mantena e toda região

Foi preso na tarde desta terça-feira (16) em Vitória, no Espírito Santo, o vereador Marcos Alves da Silva (PSDC) autor do assassinato do prefeito de Naque, em Minas Gerais, Hélio Pinto de Carvalho, morto com seis tiros no sábado (13). De acordo com as informações do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco), de Ipatinga, o vereador estava na casa de parentes, no Bairro Mata da Praia.

Continua depois da publicidade

A prisão foi em cumprimento de mandado emitido pela Justiça do Vale do Aço. Ainda segundo o Gaeco, o vereador vai ser autuado na Delegacia da Polícia Civil de Vitória e ser encaminhado para o presídio da cidade. Após serem realizados os trâmites administrativos ele vai ser transferido para a Penitenciaria Dênio Moreira de Carvalho, em Ipaba.

O Gaeco não deu um prazo para que a transferência ocorra. O inquérito que apura o crime segue aberto.

O que diz a defesa

Em nota, divulgada no fim da tarde desta terça-feira, a defesa do vereador Marcos Alves de Lima afirmou que ele foi para Vitória não com o intuito de fugir, mas sim de se proteger.

“O Marcos ficou sabendo que em Naque as pessoas estavam planejando depredar o comércio dele e a casa onde ele e a família moravam. Com medo que essas pessoas pudessem chegar até Governador Valadares, na manhã dessa terça-feira ele foi para Vitória. Assim que já estivesse instalado no local nós iríamos comunicar à justiça que ele se mudou para ficar em segurança”, explica o advogado Evaldo Braga da Silva.

Durante a prisão nesta terça-feira, chamou a atenção dos investigadores que o vereador estava com o cabelo pintado; estão pretos e no dia do crime eram completamente grisalhos. Segundo o advogado de defesa, Marcos Alves escureceu os cabelos atendendo uma vontade da esposa. “Ele mudar a cor do cabelo não significa que queria fugir e não ser identificado. Ele só mudou a cor dos cabelos para atender a um gosto da esposa. Se ele tivesse ficado preso teria a cabeça raspada e isso não quer dizer que ele estaria tentando não ser reconhecido”, conclui Evaldo Braga.

Continua depois da publicidade

Entenda o caso

O prefeito de Naque, Hélio Pinto de Carvalho, morreu no sábado (13) após ser atingido por seis disparos feitos pelo vereador Marcos Alves de Lima (PSDC). Os dois discutiram na zona rural do município, em um terreno que pertence à prefeitura e é vizinho de uma propriedade do vereador.

Testemunhas disseram à PM que a discussão estava relacionada a uma cerca que divide as propriedades. Após os disparos, o prefeito foi socorrido para o Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, mas não resistiu. O corpo dele foi enterrado no domingo (14) em Governador Valadares.

Após o crime, o vereador foi preso em Governador Valadares. Ele alega que disparou para se defender após ter sido agredido a chicotadas pelo prefeito. Ele foi ouvido na Delegacia Civil e foi encaminhado para o presídio da cidade. No domingo, Marcos Alves de Lima foi solto do presídio durante a audiência de custódia, onde o juiz de plantão entendeu que o vereador era réu primário e não oferecia risco para a população, segundo o advogado Evaldo Braga da Silva.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui