Detento ataca policiais e é morto a tiros dentro de delegacia em Colatina, ES 

0
142
Delegacia de Colatina (Foto: Divulgação Sindipol)

Delegacia de Colatina (Foto: Divulgação Sindipol)
Um detento foi morto a tiros após atacar policiais dentro da Delegacia Regional de Colatina na madrugada deste sábado (19). De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública, tudo aconteceu quando policiais militares davam apoio a um policial civil para colocar o detento dentro de uma cela da delegacia.

Continua depois da publicidade

O ataque começou quando o policial civil abriu a cela e foi arremessado para trás pelo detento, que empurrou a grade de ferro. Em seguida, o indivíduo pegou uma telha colonial, tentou golpear a cabeça de um soldado da PM e pegar a arma dele. Nesse momento, o soldado efetuou dois disparos. A Sesp não informou se foi na direção do detento ou se foram disparos de advertência.

Na sequência, o preso largou a telha, pegou um pedaço de madeira e partiu novamente para cima do policial civil, que foi golpeado nas costas. O pedaço de madeira se quebrou e ficou pontiagudo. O preso então se voltou para o soldado tentando atingí-lo.

Segundo a Sesp, nesse momento, diante do risco, o PM efetuou mais dois disparos, mas os tiros não teriam sido suficientes para parar o detento, que ainda partiu para cima de um cabo da PM, tentando golpeá-lo no pescoço com o pedaço de madeira pontiagudo. O cabo ficou encurralado e efetuou três disparos. O detento caiu no chão e, segundo a Sesp, chegou a ser socorrido com vida, mas morreu em seguida.

Leia a íntegra da nota enviada pela Sesp: 

“Na madrugada deste sábado (19), dois policiais militares prestavam apoio a um policial civil, a fim de colocar um detento em uma cela da Delegacia Regional de Colatina, quando, ao abrir a cela, um detento empurrou a grade de ferro, arremessando o policial civil para trás.

No mesmo instante o indivíduo pegou uma telha colonial e avançou em direção a um soldado, tentando agredi-lo na cabeça e pegar a sua arma. Neste momento o soldado realizou dois disparos. O homem, então, largou a telha e se apossou de um pedaço de madeira, indo em direção ao policial civil e desferindo-lhe um golpe nas costas. Assim, a madeira se partiu, ficando o objeto pontiagudo.

Então, o preso voltou-se novamente para o soldado, empulhando a madeira com a ponta. Diante do iminente risco, o PM revidou realizando mais dois disparos, no intuito de cessar a agressão. No entanto, o indivíduo continuou tentando contra a vida dos policiais e partiu pra cima de um cabo, tentando golpeá-lo no pescoço com a madeira.

O cabo tentou escapar dos golpes e se afastar, mas acabou travado por uma mesa de concreto, o que o impossibilitava de fugir das agressões. Portanto, o PM realizou três disparos, no intuito de acertar o homem no braço que empunhava a madeira. Foi quando o indivíduo caiu ao chão, sendo socorrido ao hospital, ainda com vida, mas em seguida teve o óbito constatado.

A PMES instaurará o Inquérito Policial Militar (IPM), como é praxe nesses casos, para apurar todas as circunstâncias em que ocorreram os fatos.

Em uma análise preliminar, os policiais agiram em legítima defesa durante o cumprimento de seu dever”.