João Rufino fala sobre a  destruição  da escadaria da Escola Antônio Carlos em Mantena

0
454

O  prefeito  João Rufino  relatou  através  de matéria em  mídia regional   que a “antiga” escadaria da Escola Municipal Antônio Carlos  era uma “ameaça” às crianças informando ainda como “obras” a construção de um  muro que  vem sendo feito  para receber às crianças  no período  das aulas.

Embora o site Mantena Online tenha sido contestado  a informação de que o prefeito atendeu a secretária de Educação Creuza Muniz  foi veiculada pela Assessoria de Imprensa da PMM – Foto: PMM

Continua depois da publicidade

Veja mais 

Apagou a história: Prefeitura atende secretária de educação e manda  destruir escadaria da Escola Antônio Carlos em  Mantena , veja fotos antigas que marcaram

Sem citar em momento nenhum  a “escadaria” e sua importância cultural   em momentos especiais que foram vividos pela  história  da Escola durante muitos anos,  história esta  que paralelamente  caminhou  com a do Município,  como podemos observar  nas fotos de alunos, professores, políticos e formandos, fatos  que continuam guardados na mente e no coração dos mantenenses que passaram pelo educandário, o prefeito se limitou a relatar  que as “obras” vão  beneficiar inúmeras pessoas que passam pelo local.

Embora  tenha afirmado na matéria  que uma de  suas mais importantes marcas é de tomar decisões ouvindo  as pessoas um advogado pontuou sobre a fala do prefeito  contestando:

“Os mantenenses de uma forma em geral não foram ouvidos sobre a destruição da “escadaria” da Escola Municipal Antônio Carlos, a comunidade escolar pode até ter sido ouvida,  se existiu divergências no ato com alguns comentando a favor e outros contra,  é sinal que a decisão não foi um  consenso, um bem comum como foi alegado como justificativa pelo prefeito”, disse.  

“Concluindo  e  analisando o contexto da palavra “ameaça” não podemos concordar,  principalmente nós  que  estudamos aqui  nesta escola, embora houvesse alguns tombos e arranhões  conhecemos a longa história e no decorrer deste  tempo não vimos pessoas quebrando pernas e braços, creio que poderíamos ter feito diferente, mas, agora é tarde e a decisão já foi tomada”, finalizando.

Fonte/fotos: Mantena Online/Site PMM

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui