Peixe-agulha salta da água e atravessa pescoço de garoto indonésio, que sobreviveu ao ataque

0
243

Episódio ocorreu na última quarta (22), durante uma pescaria noturna em South Buton, na província indonésia de Celebes do Sudeste.


O indonésio Muhammad Idul é, muito provavelmente, dono da mais bizarra história de pescador desde Jonas – famoso personagem bíblico que sobreviveu após ser engolido por uma baleia.
Continua depois da publicidade

Na última quarta-feira (22), durante uma pescaria noturna, o jovem de 16 foi atacado por um peixe-agulha, que saltou do mar e atravessou seu pescoço. Jogado para fora do barco, o garoto nadou em desespero até a praia, onde foi socorrido e levado de carro ao hospital, que fica a cerca de uma hora e meia da vila South Buton, na província indonésia de Celebes do Sudeste – local em que ele e amigo Sardi pescavam.

Muhammad ganhou fama depois que as fotos de seu ferimento foram divulgadas nas redes sociais pelos paramédicos que o salvaram. O adolescente também deve sua vida a Sardi, que o impediu de retirar o peixe do pescoço (evitando assim uma hemorragia fatal), além dos cirurgiões habilidosos que o atenderam. 
(foto: Facebook/Savage Paramedics)
Eu caí do barco e afundei na água escura. As mandíbulas afiadas do peixe atravessaram meu pescoço, logo abaixo do queixo. O peixe continuou se debatendo, me empurrando para baixo d’água. Pedi para o Sardi ajudar e ele não deixou que eu removesse o peixe, para evitar uma hemorragia”, contou o adolescente à rede britânica BBC. 
Muhammad nadou com Sardi de volta à praia, segurando o peixe de 75 cm de comprimento preso ao pescoço. Seu pai o levou às pressas a um hospital de Bau-bau. Os médicos, no entanto, conseguiram retirar apenas o corpo do peixe-agulha, pois não dispunham do equipamento adequado para remover o bico cravado no corpo do jovem. Com isso, foi preciso transportá-lo para um hospital ainda mais distante, em Makassar, capital das Celebes do Sul.
(foto: Facebook/Savage Paramedics)
A cirurgia de remoção do peixe durou cerca de uma hora. Cinco dias após o acidente, o menino diz que não sente mais dor, embora ainda não tenha recuperado totalmente os movimentos do pescoço. O episódio não parece ter interferido no gosto do adolescente pela pesca. “Só preciso ter mais cuidado da próxima vez. O peixe-agulha não tolera luz —foi por isso que ele saltou da água e me furou”, diz Muhammad à BBC.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui