Polícia Civil  apura incêndio criminoso provocado por motivo passional em Mantena, veja vídeo

0
89

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) cumpriu, na manhã desta quarta-feira (22), mandado de busca e apreensão na residência de um homem, de 35 anos, suspeito de ser o mandante de um incêndio criminoso ocorrido no dia 19 de junho deste ano, na região central de Mantena.

Continua depois da publicidade

Veja mais 

“Este é o Ariranha que nenhum de nós sonhou, para nós este foi o pior governo de todos os tempos que já passou em Mantena”, desabafa moradora

Na ação, um automóvel que estava estacionado na garagem foi incendiado. O motivo teria relação com término de relacionamento conjugal – Foto/Fonte: PCMG/Divulgação

O incêndio somente não teve consequências mais graves graças à ação rápida dos moradores da residência, que conseguiram apagar o fogo e evitar que as chamas se alastrassem pelo imóvel. No momento dos fatos, uma idosa, de 76 anos, dormia em um quarto com janela voltada para o local do foco.

Ao tomar conhecimento, a equipe da Polícia Civil iniciou intenso trabalho investigativo e conseguiu identificar que o fogo havia sido provocado por uma mulher, de 47 anos. Em depoimento, ela disse que cometeu o crime a mando de um homem pelo valor de R$ 50. Entretanto, ao ser questionada sobre a identidade dele, a investigada informou um nome inverídico, na intenção de dificultar as apurações.

Dando continuidade às investigações, a PCMG buscou qualificar o mandante do crime, colhendo imagens de câmeras de segurança espalhadas pela cidade e entrevistando testemunhas, o que possibilitou a rápida identificação dos suspeitos. Além disso, também foi levantado se tratar, possivelmente, de crime passional.

À polícia, o homem confirmou envolvimento no caso, afirmando que de fato pagou a quantia em dinheiro para que a mulher provocasse o incêndio. A motivação seria o inconformismo dele com o término de seu casamento. A ex-companheira do suspeito estava residindo provisoriamente na casa de parentes, onde a ação criminosa foi praticada.

O inquérito policial será concluído nos próximos dias e encaminhado à Justiça, podendo os suspeitos responderem pelo crime de incêndio criminoso, cuja pena pode chegar a oito anos de reclusão.

Outras matérias 

Vídeo  do  asfaltamento  da Rua I  no Santos Prates  II  é questionado, “não mostraram a rua toda, só fizeram a metade, grande ilusão” , disse moradora

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui