Valadares e o Leste de Minas saem da onda verde e entram na onda amarela do Minas Consciente, Mantena também regrediu

0
111

Anúncio da regressão da onda verde para a amarela foi feito no início da noite de quarta-feira (7/10) e surpreendeu os valadarenses.  O Município de Mantena faz parte da macrorregião Leste de Minas e  também regrediu à onda amarela do plano Minas Consciente. Por Tim Filho Especial para EM com  Adaptação por Mantena Online

O Hospital Unimed, junto com o Hospital São Lucas, estão com 95,50% dos leitos UTI COVID-19 ocupados
(foto: Tim Filho)
Continua depois da publicidade
Veja mais 

https://mantenaonline.com.br/2020/10/07/pequeno-crescimento-mantena-com-617-casos-confirmados-de-covid-19-600-curados-13-obitos-e-04-casos-ativos/

A macrorregião Leste de Minas regrediu à onda amarela do plano Minas Consciente. A regressão foi anunciada nesta quarta-feira (7/10) e surpreendeu os moradores de Governador Valadares, a maior cidade da região, que havia comemorado sua entrada na onda verde no dia 3/10.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) justificou a regressão do Leste para a onda amarela “em função da piora de alguns indicadores em municípios desse bloco”. 

O chefe de gabinete da SES-MG, João Pinho, manteve o pedido para que a população não relaxe com as medidas de segurança, incluindo o uso constante de álcool em gel e máscaras de proteção. “Reforçamos a necessidade de manter todas as medidas de distanciamento e proteção para que a gente consiga caminhar com segurança”, disse.
Em Governador Valadares, a prefeitura não se manifestou sobre a regressão da cidade para a onda amarela. A assessoria de comunicação da prefeitura informou que o anúncio da SES-MG se limitou a publicação de notícia em site do governo do estado e um posicionamento a respeito do assunto será divulgado quando a prefeitura receber comunicado oficial.
No Boletim Epidemiológico de quarta-feira (7/10), Valadares contabilizou 267 óbitos confirmados por COVID-19 e 21 a confirmar. A taxa de ocupação nos leitos UTI COVID-19 nos hospitais particulares (Hospital Unimed-GV e Hospital São Lucas) chegou a 95,50%. No Hospital Municipal e Bom Samaritano, onde se concentram os leitos UTI COVID-19 pelo SUS, a taxa de ocupação registrou 68,80%. 
Continua depois da publicidade
Nas redes sociais, a repercussão foi negativa. Muitos reclamaram que os valadarenses não souberam aproveitar a oportunidade e abusaram da flexibilização proporcionada pela onda verde, que permitiu a realização dos eventos culturais e o retorno da música ao vivo aos bares e restaurantes.
Alguns músicos protestaram, comentando que os justos estavam pagando pelos pecadores. A categoria profissional que mais comemorou a entrada da cidade na onda verde foi a dos músicos, que estavam sem tocar desde março. Mas as aglomerações provocadas pelas pessoas nos bares e casas de show, na opinião dos internautas, vai custar aos músicos mais um período longe dos palcos.
Com a regressão à onda amarela, Governador Valadares perde a autorização de funcionamento para os seguintes serviços:
– Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo
– Cinemas, bibliotecas, museus e arquivos
– Parques, zoológicos e jardins
– Feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas e bufê
– Parques de diversão, discotecas, boliches e sinuca
– Bares com entretenimento (shows e espetáculos)
– Serviços de colocação de piercings e tatuagens
Para avançar para a onda verde, as cidades precisam estar há 28 dias consecutivos na onda amarela, sem sofrer retrocessos durante esse período.
Outras matérias

Politicagem? Posto Gentil apresenta toda documentação necessária para funcionamento, porém continua  sem poder “abrir as portas” em Mantena

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui