CORONAVÍRUS – Minas registra transmissão comunitária da variante Delta da COVID-19

0
160

Minas Gerais já registra contaminação comunitária da variante Delta da COVID-19. Segundo informou a Secretaria de Estado de Saúde Fábio Baccheretti nesta terça-feira (17), as regiões Sudeste e Noroeste tiveram os registros e colocam em estado de atenção o poder público.

Fonte: EM online – Matheus Muratori

Fila de vacinação em BH: segunda dose é aliada para evitar mortes pela variante Delta do vírus, diz governo de Minas
Continua depois da publicidade

Veja mais 

Segundo o secretário Estadual de Saúde Fábio Baccheretti “Temos comunitária sim. Os primeiros oito casos não eram comunitários, foram importados, Juiz de Fora, tivemos de Belo Horizonte, que foram importados, mas parte deles, tanto na Região Noroeste quanto na Região Sudeste, nós temos casos de transmissão comunitária. Sudeste, que é região de Juiz de Fora, Noroeste ali que é a região de Unaí, nós não tivemos nenhum histórico ou de viagem ao exterior ou contato com alguém que fez viagem ao exterior. Então, já é uma transmissão de duas pessoas, a gente não sabe obviamente quem transmitiu para ele, é o que chamamos de comunitária, quando ele pega em um local de uma pessoa que não importou o vírus. Temos, provavelmente, mais casos dela”, afirmou Fábio Baccheretti, secretário de Saúde de Minas.

A variante Delta do novo coronavírus é uma cepa mais contagiosa e transmissível que as demais, mas tem solução aparente em Minas Gerais. O Rio de Janeiro, estado vizinho, é considerado o epicentro da mutação do vírus, mas Baccheretti afirma que a situação em Minas é ainda confortável, muito pelo avanço da vacinação. Minas Gerais tem 12 registros confirmados desta cepa – cinco na Região Central; quatro na Sudeste; dois na Noroeste; e um na Norte.
“Mas o que é importante é que dentro da amostragem feita em Minas, da mesma forma que o Rio de Janeiro faz, Rio está com 60%, nós estamos com 0,4%. Não significa que vamos chegar ao que o Rio de Janeiro é, com a maioria dos casos em delta, é uma expectativa, mas como a gente está conseguindo vacinar rapidamente, talvez quando a delta transmitir com maior intensidade em Minas Gerais, a gente vai ter atingido uma vacinação com duas doses proporcionalmente maior, o que nos dá mais tranquilidade em relação ao leito de CTI”, explicou o secretário.
Por fim, Baccheretti afirmou que os cuidados seguem os mesmos: vacinação, uso de máscara de proteção, álcool em gel e distanciamento social.
“Outro ponto importante, que nos preocupam, eu já falei, os cuidados são os mesmos, mas a gente não está desmobilizando leito ainda. O estado de Minas não desmobilizou nenhum leito, está mantendo os leitos abertos, mesmo com ocupação de 40%. Alguns municípios decidiram por gestores internos desmobilizar alguns, mas o estado vem mantendo. Abrimos recentemente em Nanuque, dez leitos, em Ubá dez leitos, já na expectativa da variante delta, de entender e não ser pego de novo de surpresa como aconteceu no começo do ano, com a P1, a Gama. Mais importante que a população entenda: os mesmos cuidados valem e buscar a segunda dose de vacina quando chegar o momento”, finalizou.