Em 42 dias, Minas registra quatro mortes suspeitas por dengue

O número de casos prováveis, que engloba os confirmados e suspeitos, já supera 17,8 mil. O valor é 59,4% do registrado nos doze meses de 2018.


Minas Gerais está em alerta por causa do aumento de casos de doenças transmitidas pelo aedes Aegypti. Combate ao inseto devem ser intensificados(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Divulgue seu empreendimento conosco – Mantena Online – o Site das letrinhas azuis – (33)999689473 – Anunciou-vendeu
A dengue avança em ritmo acelerado por Minas Gerais. Já são quatro mortes suspeitas da doença em apenas 42 dias. O número de casos prováveis, que engloba os confirmados e suspeitos, já supera 17,8 mil. O valor é 59,4% do registrado nos doze meses de 2018. Nas últimas quatro semanas, 38 cidades apresentaram incidência muito alta ou alta de notificações da enfermidade. O estado está em situação de alerta por causa das moléstias transmitidas pelo aedes Aegypti. 
Continua depois da publicidade

Os dados fazem parte do boletim epidemiológico divulgado na tarde desta segunda-feira pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/MG). O número de casos prováveis chegou a 17.860. Em apenas uma semana, o aumento de notificações foi de aproximadamente 44,9%.

O histórico da dengue mostra que de três em três anos há epidemia da doença. A última vez foi justamente em 2016, quando foram registrados 519.050 casos prováveis. No ano passado, foram 17.860, e em 2017, 25.933. 

Continua depois da publicidade

O número de mortes suspeitas também vem aumentando. De acordo com a SES/MG, quatro pessoas não resistiram aos sintomas semelhantes da enfermidade. Os casos estão sendo analisados. Em 2018, foram registradas 23 mortes, sendo que nove foram confirmadas. As outras ainda estão sendo investigadas. 

O estado segue em alerta devido ao aumento de casos. “A SES-MG esclarece que um registro maior de casos é esperado para este período (meses quentes e chuvosos) devido à sazonalidade da doença. Dessa forma, o estado está em situação de alerta para esse aumento no número de casos das doenças transmitidas pelo Aedes (dengue, chikungunya e zika)”, afirmou. 

Chikungunya e zika

O combate aos focos do mosquito aedes Aegypti devem ser reforçados pela população. Outras doenças transmitidas inseto também apresentam alta. Em relação à febre chikungunya, Minas Gerais registrou, neste ano, 317 casos prováveis da doença, sendo sete gestante entre os casos suspeitos. Duas tiveram a confirmação laboratorial. Em 2018, foram 11.765 notificações e uma morte confirmada. Não tem registro de óbitos pela enfermidade em 2019. No caso da zika, foram registrados 92 casos prováveis da doença.