Prefeito em exercício de Santa Maria de Suaçuí diz que espera manifestação jurídica para marcar novas eleições

Por G1 Vales de Minas Gerais

Prefeito da cidade pediu renúncia do cargo — Foto: Prefeitura de Santa Maria do Suaçuí/Divulgação

Prefeito da cidade pediu renúncia do cargo — Foto: Prefeitura de Santa Maria do Suaçuí/Divulgação

Mantena Online – O Site das letrinhas azuis, anunciou /vendeu – (33) 999689473

Uma troca no comando do Executivo movimentou a política em Santa Maria do Suaçuí nesta quinta-feira (3). Pela manhã, o presidente da Câmara, Jaci da Silva Pinto (MDB), assumiu a prefeitura após o prefeito João Fidel (PV) protocolar pedido de renúncia por motivos de saúde. Em entrevista para o G1, o prefeito em exercício disse que não sabia que a renúncia de Fidel aconteceria. “Havia boatos, só que não tínhamos certeza, não tinha como afirmar que aconteceria. Soubemos a partir do momento que a renúncia chegou à Câmara”, afirmou Jaci da Silva Pinto.

Continua depois da publicidade

Responsável pela prefeitura de forma provisória, Jaci da Silva Pinto confirmou que há dificuldades nos caixas do Executivo. “Estamos fazendo o levantamento, mas sabemos que há problemas financeiros. O levantamento é importante para sabermos as maiores dificuldades a princípio nesse início de ano. Existe o problema de repasse do governo estadual. Então estamos apurando para saber as maiores prioridades agora”.

Reeleito à presidência da Câmara Municipal em setembro de 2018, Jaci da Silva não quis comentar sobre a possibilidade de se colocar à disposição para o cargo de prefeito nas eleições indiretas. “Temos um diretório de partido. Nosso grupo tem interesse de indicar candidato e temos gente interessada. Vamos resolver ainda. Tem rumores de que pode haver mais candidatos interessados”.

Caso não seja o escolhido pelo diretório partidário, o agora prefeito temporário retorna à presidência do Legislativo.

Sobre o prazo para novas eleições, o prefeito temporário disse que consultará o jurídico municipal. “O juiz da comarca está de férias e volta no meio de janeiro. Faremos consultas com o jurídico da Prefeitura e da Câmara; temos que ter o posicionamento jurídico, vamos marcar dentro dos trâmites legais”, afirmou.