Vereador suspeito de ser mandante do assassinato de colega parlamentar em São José do Divino é preso


Policiais estiveram na Câmara da cidade para recolher documentos — Foto: Rafaela Ramos/Inter TV dos Vales

Policiais estiveram na Câmara da cidade para recolher documentos — Foto: Rafaela Ramos/Inter TV dos Vales

Mantena Online – O site das letrinhas azuis – anunciou -vendeu – (33) 999689473

Foi preso nesta terça-feira (12) o vereador de São José do Divino, Marcus Vinícius Lima (PPS), o Carioca. Ele é suspeito de ser o mandante do assassinato do colega parlamentar, Ronildo Rodrigues dos Santos (PHS), conhecido como Maia, que foi morto com três tiros. Além de Carioca, um jovem de 18 anos foi preso e confessou ter atirado na vítima.

Continua depois da publicidade

A prisão de Marcus Vinícius ocorreu durante uma operação da Polícia Civil no município de Ipanema. Outros dois homens são considerados foragidos da Justiça; eles são suspeitos de terem contratado o executor do crime. “Estão na condição de foragidos da Justiça. Até porque assim que é expedida a ordem judicial de prisão, quando não são encontradas, são colocadas na situação de foragidas. As nossas equipes policiais continuam no rastreamento”, explica o delegado da PC, Eduardo Gil.

Marquinho Carioca – Foto: Redes Sociais/Cartório Eleitoral

Com a prisão de Marcus Vinícius, o delegado que comanda as investigações espera prender os outros dois suspeitos para esclarecer a responsabilidade de cada um no crime. “Temos que tomar deles novas declarações, para verificar se realmente a informação endossada e repassada pelo executor do crime vai ser em choque ou não com a informação que eles passaram inicialmente. Porque, na realidade, no dia do crime eles foram ouvidos e negaram participação e autoria no crime. Mas nós temos evidências mais robustas com o encaminhar das investigações e que apontam que eles realmente teriam participação na execução e no mando do crime”, relata.

Motivação é apurada

A princípio, o executor do crime revelou os nomes dos outros envolvidos e disse que o assassinato teria sido por motivo passional, por um eventual relacionamento entre a vítima, Ronildo Rodrigues, e a esposa do suspeito mandante do crime; o que foi negado em um primeiro depoimento de Marcus Vinícius. O delegado da PC indicou que há uma nova linha de investigação, que aponta uma outra motivação para o crime. Nesta terça-feira, documentos foram recolhidos da Câmara Municipal, nos gabinetes dos envolvidos.

Veja mais

Morre vereador que estava em estado gravíssimo após ser baleado em São José do Divino, veja vídeo de autor confessando 

“Na realidade a questão passional ela foi uma causa inicial que foi trazida pelo executor do crime. Mas com o iniciar das investigações, nós conseguimos averiguar que existia uma causa anterior a essa situação passional. Na realidade o crime invocou um envolvimento com viés passional, foi apenas a gota d’água em relação a toda a situação anterior que havia entre a vítima e o autor do crime de mando. Havia uma situação financeira envolvendo os dois, porque eram vereadores na cidade de São José do Divino. Essa situação nós estamos apurando, recolhendo materiais, equipamentos eletrônicos. Com base nessas informações nós vamos buscar mais provas”, explica Eduardo Gil.

De acordo com Eduardo Gil, a investigação também apura possível esquema de desvio de verbas na Câmara Municipal de São José do Divino, que poderiam ter motivado o crime, para isso, mais provas estão sendo recolhidas.

“[o crime pode estar] Ligado a desvio de verbas. Essa provas são mais rastreáveis através de equipamentos eletrônicos. Tendo em vista que as provas digitadas, impressas, elas são facilmente destruídas. Nos equipamentos eletrônicos a gente faz uma perícia e uma vistoria para tentar arrecadar essas informações que lá foram gravadas e apagadas”, concluiu.

O velório de Ronildo Rodrigues dos Santos teve início às 16h e o enterro está programado para esta quarta (13), na parte da manhã; o município decretou luto oficial de três dias. O G1 não conseguiu contato com a defesa do vereador Marcus Vinícius.